f Adeus, verde.: Adulto

6 de abr de 2018

Adulto


Liga para operadora da internet, fala com o prestador que vai arrumar teu interfone, e com aquele que vai consertar a pia, mas tu também não pode esquecer o boleto do aluguel, muito menos a conta da luz, manda um email para imobiliária, chama a mãe no WhatsApp para contar sobre o dia, reclamar um pouco ou perguntar como se usa a panela de pressão.

Sai do trabalho e voa pra casa, agora o apartamento é teu e quando tu chegar a louça ainda vai estar lá na pia (recém consertada pelo prestador que te levou 50 reais) as roupas não vão estar limpas (e lavar elas não é tão divertido como no comercial da OMO) lava a louça e as roupas, passa uma vassoura rapidinho, e bora fazer uma janta, e olha que incrível, mas não é uma miojo, é comida de verdade, até porque agora tu já aprendeu a usar uma panela de pressão.
Falar nisso, como panela de pressão dava medo, e ser adulto também dava medo, agora o medo continua existindo, mas não podemos deixar de SER e nem de usar, então tratamos de fazer da melhor forma.

As minhas conversas mudaram, meus interesses e atenção focaram em outras coisas. Metade daquilo que eu insistia em dizer pra todo mundo que eu era, apenas não existe mais, até parece que nem pertenceu a mim um dia.
Hoje eu to afim de conversar sobre produtos de limpeza, o mistério da fórmula mágica do maravilhoso Mr Músculo, reclamar um pouco de como as coisas estão caras no mercado, que lavar o cabelo tá quase virando coisa pra rico, que o aluguel come na mesa com a gente.

Eu quero falar que parece que virei adulto do dia pra noite, que nem sequer me dei conta, que tudo foi acontecendo, eu fui parando de ser tão inconsequente e inconstante, me alinhei na forma de amar e me relacionar, e sigo percebendo todas as mudanças que ainda são necessárias para eu ser um adulto mais evoluído.

A minha cabeça continua pirada, ainda sou inquieto e agitado demais, os meus impulsos de jovem amadurecendo volta e meia aparecem, fazemos umas cagadas aqui, arrumamos outras ali, e seguimos, virando gente grande e lidando com todas as panelas de pressão que encontramos nesse caminho.



Um comentário:

  1. Bem vindo a vida adulta! conta comigo sempre meu filhote.

    ResponderExcluir