f Adeus, verde.: Muda o rumo

1 de set de 2014

Muda o rumo



Foge daí. Sai correndo. Abandona essa zona de conforto. É óbvio que tudo parece difícil agora, que parece impossível simplesmente levantar e bater a porta, deixar tudo para trás. Somos engolidos e manipulados pela mesmice, pela rotina, pelo "melhor não", ou pelo "deixa assim". Não, não deixa assim coisa nenhuma. Bate a porta. Muda. Sai daí.

Vou ser piegas agora, mas, não dá pra passar a vida toda achando que está feliz com o que tem, se não experimentar todo o resto.
Esses dias leram a minha mão (independente da sua crença, ou do que você acredita, é sempre bom ter uma breve ideia do seu destino) e fiquei feliz em saber que viverei muito e que terei muitos amores, até encontrar aquele que vai permanecer. Prefiro assim, muitos amores, muitas vivências.

Amores vencidos, trabalho sem satisfação, a cidade e a casa que já não combinam com você, e para quê tudo isso?! Para o tempo passar, e em uma tarde nublada você se perguntar: o que eu tô fazendo aqui? É melhor fugir dessa tarde, não demorar para se dar conta.

Acredito no que dizem, que nunca é tarde para mudar, para virar o jogo, mas, também acredito na pressa pela felicidade, pela paz de espirito que as boas escolhas nos trazem. Pelo sossego que o amor (ou amores) certo nos proporciona. Aquele prazer que um bom trabalho causa. A liberdade que uma nova moradia, em uma outra cidade pode gerar. Enfim, todos os benefícios que sair da tal zona de conforto produz.

Um comentário:

  1. Olá Felipe
    Dou a mão a palmatoria. Sou eu.
    Preciso urgente disso.
    Falando sempre aos corações.

    ResponderExcluir