f Adeus, verde.: Abril 2014

22 de abr de 2014

Aquela felicidade


Somos felizes na mesa do bar, entre uma conversa e outra, entre um sorriso espontâneo e uma risada mais alta, somos felizes enquanto os amigos falam sem parar e sua mão está esticada pedindo a próxima cerveja, a próxima rodada, continuamos felizes quando o copo cai, quando a bebida vira, quando o mundo gira. Felicidade é estar em boa companhia, seja com seus amigos, seus familiares, seu namorado, ou seu "ficante". Felicidade é feita de momentos, tem começo, meio e fim, e justamente essa é a graça, estar feliz é estar no presente, no agora. Somos felizes quando estamos livres, quando temos liberdade, quando não precisamos cuidar a hora, quando não precisamos dar grandes explicações, quando podemos sair com um objetivo, com um caminho e acabar em outro, quando um jantar acaba em amanhecer, quando as coisas não tem hora para começar e nem terminar, quando esquecemos a existência de nossos celulares.

Felicidade é conhecer pessoas, é ouvir suas histórias, compartilhar momentos, é rir até a barriga doer, e beijar até boca cansar. Somos felizes quando passamos a madrugada acordados vendo filme, comendo besteiras, fazendo amor, ou apenas fazendo sexo. Felicidade é acordar e permanecer deitado. É um bom jantar, um bom restaurante. Somos felizes aos domingos quando sentamos na grama, enquanto o sol bate em nosso rosto, quando ficamos horas e horas sentados, de pés descalços, e que a única preocupação é se decidir entre a pipoca ou o churros. A felicidade toma conta quando estamos no meio de uma pista de dança, de frente pro DJ, em volta dos amigos, dançando como se ninguém tivesse vendo, batendo palma, e rindo, a felicidade está em todos vibrarem quando o DJ toca aquela música que todos sabem a letra ou a ridícula coreografia.
Estar feliz é estar aberto a todos os acontecimentos que a vida traz, e ela sempre traz, a cada novo ciclo que se inicia, cada vez que temos a coragem de encerrar algo que não estava tão bom, que já não funcionava, quando decidimos colocar ponto final em determinadas situações e pensamentos ruins, tudo começa a acontecer, novas pessoas começam a aparecer em sua vida, e começam a trazer coisas, a agregar, a somar e a gente vai crescendo, vai ficando maior, vai sorrindo, vai vivendo, vai dançando, vai ficando bonito, com a pele boa, com o sorriso largo, com o cabelo saudável, com o olhar renovado. 
Definitivamente felicidade é um estado, um momento, se ele vai durar alguns dias, alguns meses ou anos, isso vai depender de nós, do quanto estamos dispostos, do quanto estamos abertos. O que posso dizer hoje, agora, é que estou extremamente feliz, pois estou realizado, satisfeito com o que enxergo no espelho, e principalmente com o que sinto. Felicidade é estar consciente de si, é estar com a mente tranquila e sossegado com suas escolhas. Eu estou feliz por todos os pontos finais que coloquei em minha história, e completamente realizado com todos os novos parágrafos que abri. Somos felizes quando nos damos conta de que melhor do que contar a nossa história é escreve-la.
Ai ai, a felicidade...

8 de abr de 2014

Combatendo o câncer


Hoje eu quero escrever pra você que também foi surpreendido com um diagnóstico de câncer, pra você que estava vivendo sua vida normalmente, correndo de um lado para outro, indo para o seu trabalho, vendo seus amigos, indo para um bar no final de semana, programando suas férias, sua viagem, sua ida ao cinema, ou a um restaurante. Escrevo pra você que acreditava ter tantos problemas, que ia dormir sem dar um abraço em quem ama por falta de tempo, ou que tinha deixado de rezar pelo mesmo motivo, ou só por as coisas estarem bem, normais, tranquilas. Escrevo pra você que como eu nunca imaginou ficar doente, nunca imaginou que em algum momento sua saúde iria falhar, que em algum dia da sua vida um médico lhe olharia pra dizer que você tem um câncer... Câncer? Câncer.

Eu entendo o que você sentiu, entendo o que passou na sua cabeça, entendo que você não acreditou, ou na verdade não queria acreditar, não dava pra acreditar que depois de passar por toda aquela sequência de médicos e exames tentando detectar o que havia de errado com seu corpo, o resultado seria esse; um câncer. Algo que sempre foi tão distante, uma doença que era abordada somente nas novelas, no cinema, ou na casa do vizinho, e que sempre causava tanto medo. Entendo que você não tenha chorado na hora, ou que tenha apenas enchido os olhos de lágrimas, mas também vou lhe entender se você abriu o "berreiro" ali mesmo, cada um tem sua forma de reagir, a hora da sua ficha cair. Eu só quero falar que eu juro que eu lhe entendo, eu conheço toda essa dor e esse medo maluco, que invade a nossa vida, que faz a gente acordar sobressaltado no meio da noite, que faz a gente chorar no travesseiro, que faz a gente rezar dia e noite. Eu sei que depois de assumir que você está com câncer ainda tem a parte mais difícil, que é o tratamento, que são as sessões de Quimioterapia que parecem não ter fim, que lhe deixam enjoado, extremamente enjoado, debilitado e fraco de uma maneira que você nunca imaginou. Lembro o quanto é duro você perder algumas capacidades básicas, como tomar um banho, caminhar até a cozinha ou conseguir comer uma refeição até o fim. Sei o quanto é complicado e dolorido depender dos outros de uma hora para outra, o quanto você enche o saco daquele hospital claro e impessoal, daquele jaleco branco, daquelas seringas que doem, que machucam seu braço, que te deixam com hematomas, daquela cadeira que com o passar das horas vai ficando inconfortável. Entendo tudo isso. Entendo que você quer sair correndo, e só parar de correr quando essa doença tiver ido embora, quando você estiver curado, quando você tiver a sua vida de volta, aquela vida que foi interrompida em algum momento. Poxa, você queria tanto ir ao cinema, tinha aquela viagem marcada, aquele jantar para ir, aquela festa para comemorar, e agora? E agora está aí dedicado e focado em apenas uma coisa: Sua cura, seu tratamento.
Eu sei que a luta não é fácil, e não é mesmo. Sei que as coisas pesam, e que em muitas noites desabamos no ombro de alguém, sei que parece que nunca vai passar, que está demorando demais. É muito exame, é muita medicação, é muito medo, é muito risco, é muita coisa em sua cabeça. Mas, eu também sei que você aprende, que você valoriza outras coisas em sua vida, que você ganha uma nova chance de fazer tudo diferente, eu sei que sua fé vai se fortalecer, que você vai encontrar uma força descomunal aí dentro, que nem sabia que existia, sei que você vai ser muito amado e acarinhado por seus familiares, por seus amigos, e até mesmo por desconhecidos, pois essa luta, essa causa é de todos, é mundial, é universal. Então por favor, não desanima, não se ache feio ou diminuído, pelo contrário, olhe pra você no espelho e veja que lindo guerreiro está sendo, que batalha bonita você está desbravando, lutando com uma flor na mão, com paz no coração. 
Esse texto é pra você que como eu se curou, ou que vai se curar. É pra você que acreditou, e acredita no final de todo esse tratamento. A cura existe, existe sim. E acreditem mas todos esse momentos ruins e desgastantes passam, ficam em seu passado, viram uma lição de vida, ensinamentos, se transformam em coragem, se transformam em vida. Viva. Viva intensamente e seja muito, muito feliz. Estamos com você!