f Adeus, verde.: Dizer Adeus

21 de jan de 2014

Dizer Adeus


Diante da morte ficamos paralisados. Em nenhum momento as palavras faltam tanto como nessa hora, quando temos que nos despedir de uma pessoa que amamos ou quando temos que confortar quem passou por essa perda. A morte é sempre pesada, é sempre muito dura de encarar. A morte traz uma realidade que esquecemos no dia a dia, a realidade da fragilidade que é viver, é quando somos atropelados por uma noticia dessas que percebemos o quão delicado é tudo isso, só assim a gente se dá conta que a vida é um sopro. Tenho apenas 23 anos, não tive muitas perdas, e as que tive eu era muito bebê, então nem me recordo, fui protegido na época pelo fato de ainda não entender o que significava aquilo, tive a sorte de ter aquela memoria superficial, onde as coisas eram esquecidas facilmente. Foi assim quando perdi meu Pai, eu tinha apenas 1 ano e 8 meses, estava começando minha vida, comia e dormia com grande facilidade, então não percebi o que acontecia dentro da minha casa, não percebi que minha Mãe e meus irmãos ficaram tristes de uma hora pra outra, não percebi a correria que a noticia da morte repentina do meu Pai trouxe para minha família, não percebi que meu Pai simplesmente sumiu, que eu não ia mais ver ele fazendo a barba no banheiro, eu era apenas um bebê e estava dentro do meu berço, enquanto minha Mãe estava com o guarda-roupa aberto escolhendo a roupa que meu Pai ia vestir pela última vez, enquanto algum padrinho, ou algum tio ligava para a funerária para escolher caixão, flores e alças, tem coisa mais louca do que isso? ter que enfrentar a burocracia, ter que fazer contas, ter que avisar as pessoas, ter que se vestir, ter que sair de dentro da sua casa em uma hora dessas, existe coisa mais inadequada que a morte?

Eu realmente tive muita sorte, fiquei imune a toda essa dor. Mas, hoje tenho a consciência de tudo que a minha família passou, de quanta dor uma morte precoce e sem aviso prévio pode causar nessas pessoas que estão conscientes naquele momento. Quando conseguimos observar a morte se aproximando daquelas pessoas mais velhas, já muito doentes e debilitadas, ainda assim nos causam dor, claro, mas, conseguimos ter o discernimento que a vida seguiu seu fluxo natural, mas, quando perdemos alguém que é muito novo, alguém que a gente nunca imaginou perder, alguém que até ontem estava tão vivo quanto você, alguém que tinha uma grande estrada pela frente, aí é duro dizer adeus, é duro entender, todo esse processo é muito dolorido. Mortes estúpidas nos baqueiam, nos deixam sem movimento e sem expressão. Acredito que cada vez que acontece uma perda assim um sorriso se apaga no mundo, ficamos tristes junto com essas famílias, se estamos de fora e ficamos assim, imagina quem vivencia isso tudo de dentro, imagina quem tem que continuar sua vida depois disso, pois, a vida sempre continua, depois de dizer adeus a quem você tanto amou, é preciso ir para casa, enfrentar as lembranças de um quarto, das roupas, do cheiro, de uma vida, é preciso se alimentar e tomar um banho, é preciso fechar os olhos para tentar dormir, seu trabalho, seus compromissos, as sacolas do mercado cheias de coisas para guardar ainda estão esperando por você, esperando você. Uma hora a vida tem que ser retomada, a dor e a saudade vão ficar por ali, rondando e invadindo seu quarto em algumas noites, mas, acredito que as orações, que a força que todos estão mandando vão ajudar, vão ajudar você a dormir, a sonhar com coisas lindas, e no amanhecer você vai estar mais forte. Deus, o universo, e todas as pessoas que te rodeiam estarão com as atenções e o amor voltados pra você e sua família. Acredito que algo muito maior que nosso entendimento acontece nessas horas, trazendo uma força e um conforto que são precisos e indispensáveis nessa caminhada, aquela pessoa amada vai estar no outro plano, ajudando você a aceitar que esse era o caminho que ela precisava percorrer, que tudo está certo apesar de não parecer, e que a paz, a felicidade, e a harmonia do seu lar vão voltar logo logo, com o tempo. Que Deus preencha o coração de vocês, e que segure tua mão bem forte a cada dia. Amém.

4 comentários:

  1. Já me faltam palavras para me referir à você Lipe.Passei isto algum tempo atrás, tamanha foi a dor, que sonhei com a pessoa me dizendo que onde estava era um lugar muito lindo, com muita luz e que eu descansasse, pois estava muito feliz. Pois não sofria mais, .Incrivel depois disto só me lembro das coisas boas que viveu.pois tinha uma doença que o levou dentro de quatro meses. Pode imaginar né.
    Bjs fofo.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo teu texto. Só quem viveu histórias de perdas, tanto de pessoas jovens como de pessoas mais velhas se identifica com o teu excelente texto. Emocionante!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Emocionante...nossa!Dani

    ResponderExcluir
  4. É Felipe, você encontrou palavras para descrever com muita sensibilidade essa dor. Émuito dificil mesmo aceitar, absorver, digerir a intensidade de momentos como esse. Ainda mais porque cada um de nós sente de uma forma única, porque isso envolve toda carga de sentimento de uma história que foi construída, de laços que se formaram ao longo do tempo. Ao ler o texto, lembrei da minha avó, a quem eu era muito apegada. Já contei um pouco dessa história lá no meu blog (não sei se você viu). Depois que ela faleceu, tive um sonho lindo com ela... O sonho da caixinha de cristal. http://feiticosdobem.blogspot.com/2012/11/sonhar-e-coisa-boa.html E foi nesse momento que encontrei a "força", sobre a qual você tão bem abordou. Uma força inexplicável que nos faz seguir adiante. Coisas de Deus, mesmo! Parabéns por mais um lindo texto, querido. Bjs

    ResponderExcluir