f Adeus, verde.: Conselhos de Amigo

6 de jan de 2014

Conselhos de Amigo


Olha como as coisas são, estou a muito tempo querendo contar a nossa história, estou a bastante tempo pensando em escrever sobre ti, em usar esse espaço para dividir com as pessoas um pouco sobre o que eu aprendi contigo. Pensei em mil maneiras de escrever esse texto, eu poderia contar a nossa história em detalhes, mas ficaria muito longo e de repente não tão interessante para quem não nos conhece, eu poderia escrever sobre duas pessoas, mas sem mencionar a gente, ou bastaria eu escrever sobre amizade, que é o tema principal desse texto. Bom, eu preferi escrever diretamente pra ti.
É difícil "falar" ou escrever sobre amizade sem deixar os outros de saco cheio, normalmente as histórias e declarações públicas de amizade são basicamente a mesma coisa, muito "te adoro" pra cá, muito "aprendi contigo" pra lá, muito "pra sempre" aqui e muito "te desejo..." ali, enfim. Quero te dizer que vou tentar fugir de tudo isso e abrir meu coração pra ti, e tu deve pensar agora "quantas vezes ele já abriu esse coração pra mim". Foram inúmeras vezes, sou uma manteiga e divido meus problemas com facilidade, foi ao teu ouvido e ao teu ombro que corri milhares de vezes, e tenho certeza que tu lembra de cada uma delas, ou das principais pelo menos. Temos um tempo de relação onde já podemos ter a certeza se é ou não uma amizade verdadeira, aliás o que é uma amizade verdadeira? É exatamente isso que a gente tem, Fábio. É uma relação onde podemos ser nós mesmos, onde podemos ser uma manteiga derretida ou uma rocha, onde podemos abrir a nossa boca e despejar tudo que achamos, tudo que pensamos, tudo que queremos, podemos nos abrir sem medo, sem medo de ser reempreendido, sem medo de ser ridículo, de parecer estranho ou leviano, apenas dividimos um com o outro os nossos mais puros e secretos sentimentos. Isso fez a gente ficar íntimo, fez a gente construir algo em cima do nada, apenas construímos essa ligação por vontade própria, por identificação, por afeto. A vida tem me mostrado todo dia o quanto essa ligação vale a pena.

Aprendemos a respeitar as nossas diferenças, aprendemos a respeitar a nossa relação. Quando a nossa confiança foi abalada tratamos de dar uma geral nela, ressuscitamos o morto juntos, arremangamos as mangas e fomos salvar o que a gente tinha de melhor, conseguimos limpar toda a sujeira de um momento mal conversado, de um momento que as nossas vidas e opiniões tomaram um rumo diferente. E agora estamos de volta, e acredito que de uma maneira muito mais bonita e sincera, estamos cuidando um do outro, mas principalmente cuidando dessa amizade, cuidando dessa relação que pegamos gosto de ter. Justamente hoje, justamente em Janeiro que foi o mês que a gente se conheceu a uns anos atrás, justamente em um dia que eu precisava ouvir a coisa certa, tu vem conversar seriamente comigo, vem me mostrar tudo que eu precisava ver, vem me cobrar coisas que eu precisava ser cobrado, hoje, mais do que nunca tu fez o teu papel, de amigo. Me alertando, me mostrando meus erros e sendo muito íntegro na tua opinião, percebi hoje de uma vez por todas que tu é pra sempre (desculpa ter caído na habitual declaração de amizade) mas, acredito realmente que seja, tu vem a muito tempo buscando o meu melhor, exigindo a melhor parte de um Felipe que quer mudança, um Felipe que tu viu passar por tudo que passou, e que hoje como tu mesmo disse "Tem obrigação de mudar". 
Muito obrigado pelo voto de confiança, e por esse carinho que temos um com o outro. Que 2014 seja pleno e cheio de gás para alavancar ainda mais essa nossa parceria. Como tu sempre diz e não poderia faltar: "Que seja doce".

2 comentários:

  1. Bom dia, Lipe. Acabei de ler.
    A cada texto, vejo em você uma sensibilidade imensa, em tratar com os que estarão lendo seus textos. O cuidado com as palavras, sem deixar que fique rústico, bruto. Posso ser clichê, mas você é muito bom no que faz. Te admiro. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Linda homenagem ao seu amigo, Felipe! Amizades verdadeiras normalmente rendem lindas páginas de nossas vidas e, por isso, sempre emocionam. Amei! beijos

    ResponderExcluir