f Adeus, verde.: Começo/Fim do meu Câncer

31 de jan de 2014

Começo/Fim do meu Câncer


A vida é mesmo engraçada e perfeita. Semana passada fui chamado para dar uma entrevista no Blog do Câncer, onde eles queriam fazer uma reportagem sobre a minha visão da doença, sobre minha experiência nessa luta contra o Câncer, prontamente atendi o pedido. Enquanto eu respondia às perguntas ia me lembrando de todo aquele processo, por tudo que vivenciei naquele hospital e em casa após as bravas sessões de Quimioterapia, lembrei de cada detalhe, de todos os choros, de todas as noites acordadas e de toda a força que precisei ter.
Hoje me sinto muito distante daquilo tudo que vivi, apesar de fazerem apenas 3 meses que se encerrou, tenho a sensação que foi em uma outra vida, como se fosse uma grande "aspas" na minha história, uma parada obrigatória. Ao final da entrevista eles solicitaram que eu enviasse algumas fotos que marcaram meu tratamento, fotos que tiveram algum significado durante essa doença, então eu resolvi abrir meu Álbum do Facebook e rever todas as fotos que tirei ao longo do tratamento, e foi nessa hora que a minha ficha caiu de verdade, chorei muito, muito mesmo ao ver aquele Felipe tão debilitado, ao reler todas aquelas mensagens de força, de fé, que me ajudavam a fechar os olhos e acreditar que todo aquele pesadelo iria passar, que por mais sofrimento que estivesse passando, um dia, longe ou não, um dia iria acabar.
Chorei muito quando encarei a primeira foto que tirei após raspar os cabelos (essa que ilustra o texto), pois lembrei daquele dia, onde eu me sentia frágil, com medo e esquisito com o novo visual, lembro a sensação que postar aquela foto me causou, era como se eu estivesse dando a certeza a todos (e a mim mesmo) que aquela batalha contra o Câncer havia realmente começado. Lembro de não aguentar mais meu cabelo caindo no banho, nos travesseiros, na minha mão, ou onde eu apenas encostava a cabeça, lembro que era de tarde e que eu estava sozinho em casa, lembro que sem pensar muito peguei minha carteira e fui até um "salãozinho" de beleza bem próximo e bem pequeno aqui do lado de casa, daqueles que a última coisa que a dona da "peça alugada" sabe fazer é cortar cabelo, mas, não tinha problema, dessa vez eu não queria um corte moderno de cabelo, eu apenas sentei na cadeira dela e disse: "É pra raspar, passar zero" e a tal senhora, dona do salão me responde o seguinte: "Vocês homens são assim, né? é só dar um calorzinho na semana que já querem raspar o cabelo", eu apenas sorri e fechei os olhos. Vim correndo pra casa, caminhando de cabeça baixa na rua, com vergonha, me sentindo um ET, cheguei no meu quarto e parei na frente do espelho por longos minutos, chorando muito por finalmente ter me dado conta que eu estava doente. Lembro do rosto da minha Mãe quando me viu assim, tentando parecer natural e sorrindo pra mim, dizendo que eu fiquei um "gato", mas, os olhos dela confidenciavam a mesma certeza que eu tive: A luta estava só começando.

Todo o resto vocês acompanharam aqui no Blog, as sessões de Quimioterapia, meus relatos sobre os enjoos e sobre meus medos, sobre meus sonhos e minhas vontades, sobre minha força e minha fé, dividi tudo aqui nesse espaço, com a esperança de ficar mais forte, com a esperança de tirar grandes aprendizados disso tudo. E hoje observo tudo isso, e escrevo sobre, com um coração tranquilo, de quem conseguiu, de quem venceu. Digo que a vida é engraçada e perfeita, pois justamente hoje que eu recebo a noticia do meu Oncologista que estou realmente bem e curado, que ouço ele me dizer "VIDA NORMAL AGORA", é o dia que a reportagem que participei no Blog do Câncer sai, como se fosse Deus me mostrando que realmente estou fechando um ciclo na minha vida. 
Estou emocionado e muito, muito feliz. Obrigado.

Leiam a matéria do Blog do Câncer, fui muito sincero em minhas respostas e a entrevista ficou linda:

http://blogdocancer.com.br/felipe-mendes-sobre-sonhos-lutas-e-conquistas/

4 comentários:

  1. Já fui lá ver a sua entrevista, Felipe! É de arrepiar mesmo! Até para nos, seus leitores-amigos, que acompanhamos o passo a passo através dos seus textos, fazer a retrospectiva dá aquele friozinho da barriga e as lágrimas voltam a marejar nossos olhos... Mas que bom, que tudo passou! Acho legal que suas palavras sirvam de auxílio a tantas outras pessoas que estão enfrentando a mesma luta. Parabéns, meu querido amigo. A cada dia, te admiro ainda mais! bjs

    ResponderExcluir
  2. Há quase 5 anos tbm tive um câncer e é "engraçado" de como o tempo passa e nem nos damos conta (só fui perceber que faz tido isso depois de ler seu relato e me identificar com muitas coisas que você passou) de como mudamos durante e depois de passar por tudo isso. Isso só nos fortalece e pode ter certeza de que todas as lembranças ruins (quimio, enjoos, olhares "estranhos" de pessoas de fora) ficam mais leves, não desaparecem, mas com o tempo ficam muito mais leves.
    Parabéns por esse ciclo da sua vida e por essa vitória.

    ResponderExcluir
  3. Deus jamais abandona seu filho numa luta, ler seus textos me trouxe essa certeza.
    Vitória menino...passou e você rever tudo como se estivesse numa janela vendo o movimento na rua.
    Nova vida, novas oportunidades, mesmo que seja falar de sua dolorosa experiência.
    Abração!

    ResponderExcluir