f Adeus, verde.: Pé na Bunda

11 de dez de 2013

Pé na Bunda


O que seriamos sem o famoso "pé na bunda?" Estava deitado agora, de barriga para cima, olhando para o teto e me veio isso na cabeça, o que seria de nós se não tivéssemos passado por esse tipo de coisa? "pé na bunda" gente desleal, gente que se apresenta pra você de um jeito e com o tempo você descobre que não é nada daquilo, traições que você descobre, ou as que você não descobre, todas essas coisas machucam muito, ainda mais quando estão quentes, quando aquilo ainda está no seu presente, mas, quando você cria um distanciamento de tudo isso, quando as marcas já se apagaram e os causadores já estão bem longe de você, aí conseguimos olhar de outra forma, conseguimos perceber o quanto essas coisas foram importantes.
Tem aquele clichê que diz que "pé na bunda" te empurra pra frente, um baita clichê mas cheio de verdade, é quando esse empurrão te expulsa daquela zona de conforto que você estava até agora, achando que aquele relacionamento era maravilhoso, mesmo que vocês nem se falassem mais, mesmo que as ausências dele ficassem cada vez maiores, apesar das brigas serem constantes, e de vocês dormirem com a desconfiança toda a noite, mesmo assim é difícil "largar o osso", é difícil abandonar uma relação que um dia foi história de amor, é duro admitir que não é mais, que não dá mais, normalmente esse tipo de relação só chega ao fim quando um dos dois resolve colocar seu "pezão" bem no meio da bunda do outro, e é somente quando a porta bate, quando o guarda-roupa desocupa espaço, quando a cama fica vazia, e quando ninguém mais come seu iogurte antes de você, que você resolve começar a viver, ou pelo menos tentar, é graças ao triste "pé na bunda" que as pessoas resolvem se mexer, é nessas horas que entramos na terapia, que começamos academia, uma dieta, um ioga, uma aula de teatro, que abandonamos um emprego, que procuramos outro, que mudamos as roupas, cor de cabelo, corte, enfim, é somente nesse momento que resolvemos dar um sacode na nossa tão parada vida, tem gente que diz que ao fazer todas essas coisas estamos cobrindo buracos, e estamos mesmo, precisamos cobrir nosso dia que antes era ocupado por alguém que nem merecia estar ali, precisamos estar fora de casa quando a hora do jantar se aproxima, precisamos comprar coisas para tapar o buraco que ficou no guarda-roupa, fazer todas essas coisas não alivia o coração, mas, pelo menos preenche a sua mente.
Tudo parece muito difícil, términos são difíceis mesmo, a vida não é que nem novela que por estar chegando ao final você logo encontra um par amoroso, pegam o buquê e vão casar na praia, não, a vida é um pouquinho diferente, demanda um pouco mais de tempo, mas, nada impede do buquê e do casamento virem a existir. Você só precisa estar disposto, estar aberto e estar curado de qualquer feridinha do passado. Graças a traições e pessoas não tão legais, hoje sabemos exatamente o que queremos e o que não aceitamos mais em nossas vidas, graças a essas pessoas estamos mais magros, com cabelos diferentes, conhecemos o ioga, resolvemos muitas das nossas "nóias" na terapia, fizemos teatro, e temos até um guarda-roupa novo, fora os iogurtes só para você. Então agradeçam a todos os "pés na bunda" que levamos.

6 comentários:

  1. Oi acabei de ler seu texto. Disse tudo, é bem assim msm, mas a gente se levanta. Mas que é triste isto é.
    Bjs lindo

    ResponderExcluir
  2. Você vai aprender escolher com quem anda pode ser mulher ou homem. Isto não para a vida, de
    Provas e expiação, e assim. Mundo margarina, e na televisão. Brigamos a vida toda,você e muito
    Bonito por dentro e fora. Vai fazendo amizades com quem presta, você ira aprendendo, você e muito
    Inteligente, saberá descobrir.quem e quem. Reze por estas pessoas que não presta, coloque o véu
    Neles.ignorando. Outras pessoas suas amigas aparecerão. Bjs Paz de Jesus

    ResponderExcluir
  3. O "pé na bunda" dói demais, e concordo que é nessa hora que começamos ioga, academia e a viajar muito, tudo para preencher aquele vazio insuportável. Acho que nunca vou agradecer um "pé na bunda", porque deixa as pessoas mais frias e acreditando menos no outro. Bjo

    ResponderExcluir
  4. Bom um "pé na bunda" pode te levar a mudanças com certeza e depois que isso acontece é que paramos para pensar se é realmente daquele jeito que queríamos que nossa vida estivesse.

    http://aestranhars.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do seu texto. Quem nunca passou por isso, certamente passará... Estou tentando esquecer um "pé na bunda" e me distanciar. Está difícil, já faz um ano, ainda dói como se tivesse sido ontem. Faço de tudo pra esquecer, mas o dia a dia me traz lembranças. Não sei quando tudo isso passará. Seu texto me confortou, obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marina. Fico muito feliz se pude te confortar. Escrevo algo que tenho propriedade, amor é dureza! Mas, as coisas passam e nós deixam algo né? Fica bem sempre, beijo

      Excluir