f Adeus, verde.: Novembro 2013

29 de nov de 2013

O Aniversário


Sou o tipo de pessoa que ama aniversário acima de tudo. Acima do Réveillon só está o dia do meu aniversário, 29 de Novembro,  a data que considero a mais importante do ano. Sou o tipo de pessoa irritantemente feliz no dia do seu aniversário, o tipo de pessoa que acorda imune a qualquer probleminha que possa surgir nesse dia, estou completamente feliz, embrigado de energia positiva. Sempre, sempre foi assim, desde muito pequeno, esse dia sempre foi comemorado com festas, docinhos, cachorrinhos, música, amigos, brinquedos, enfim, toda essa algazarra que festinha de criança trás, depois chegou os aniversários de adolescentes, aqueles de pizzaria, mas que mesmo assim não deixavam de ser comemorados, e estavam lá recheados de queijo, refrigerante, pizza de sorvete, as doces, salgadas, amigos, e um bolo de isopor, tudo muito divertido sempre. E, eu sempre com aquela cara de realização, vivendo o meu dia, rodeado das pessoas que amo, e recebendo a energia boa que chega de todo os lados nessa data. Depois vivi aniversários de garoto, de jovem, aquelas festas que você reúne seus amigos, contrata um DJ, e compra umas 15 garrafas de vodca , cervejas, energético, e a festa está feita até amanhecer, sempre com muita animação, e aquela vibração que só esse dia tem.
Até hoje, sempre dei muito valor para essa data, sempre achei fantástico essa sensação de uma nova idade, de mais um ano vivido, de mais bagagens, gosto muito dessa sensação de recomeço que fazer aniversário te faz sentir, adoro imaginar que estou começando uma nova etapa. Só que dessa vez, nesse 29 de Novembro, desse ano especifico, eu sei que é diferente, sei que não é mais um aniversário, que não são somente amigos, bebidas e um DJ bacana tocando, tem algo a mais aqui, tem uma conquista embutida nessa data, tem uma felicidade ainda maior estampada na minha cara, tem uma força pulsando dentro de mim, meu coração está totalmente cheio, dessa vez é diferente, eu to vivo, eu to vivo, eu to vivo! estou me sentindo bem, estou mais gordinho, meu cabelo está começando a crescer, eu estou longe das quimioterapias a mais de três semanas, então estou mais forte, estou confiante. Estou fazendo hoje 23 anos, e sei que eu posso durar muitos anos, posso ficar bem velhinho, posso chegar ao ponto de esquecer por alguns segundos o meu próprio nome, mas, nunca, absolutamente nunca vou esquecer desse aniversário, nunca irei esquecer de 2013, nunca vai sair da minha cabeça tudo que eu passei, nunca vou abandonar esse Felipe careca, quase sem sobrancelha, mas, com o mesmo sorriso, e com um novo olhar, um novo olhar para a vida, foi esse carequinha que mudou o percurso da história desses outros Felipe's que ainda irão surgir, e desse velho sentado em alguma cadeira de balanço no futuro, segurando a foto de um garoto muito feliz, rodeados de amigos sinceros, e de pessoas boas. 

Estou  feliz pelo que eu sou hoje. Estou feliz pelas minhas mudanças. Estou feliz por agora valorizar tanto cada amigo que eu tenho. Estou amando estar amando ainda mais a minha família, os meus irmãos. Estou amando estar amando ainda mais a vida. Estou pleno por estar aqui escrevendo nesse Blog, onde pude colocar todos os meus medos, e os sentimentos mais profundos, coisas que eu só falaria para mim mesmo, segredos de alma. Estou feliz por isso ter dado certo, por ter transformado esse Blog no meu refúgio, na minha terapia, e principalmente por ter conhecido tanta gente boa, de coração gigante, capaz de me amar a distância, sem nem mesmo me conhecer. Estou feliz por mais um ano de vida, e por daqui a algumas horas eu estar reunido com todas as pessoas que eu amo, dançando, dançando, e dançando, por uma noite inteira.
Muito obrigado a todos vocês.


Ps: Cheguei em casa agora final da tarde, e a portaria me avisou que tinha uma caixa para mim, que tinha sido entregue agora a tarde, peguei a caixa extremamente curioso, e vim correndo aqui para a casa abrir e ver qual era a surpresa. Ao abrir, tinha uma garrafinha linda de vinho, muitos chocolates, um cartão para comprar mais algum presentinho, e folha de arruda, que estava ali só para trazer energia boa e sorte, tinha também um cartão, claro. Ao abrir o cartão fiquei muito surpreso, muito feliz, muito tocado, tocado pelo gesto incrível que uma pessoa muito especial fez pra mim, o cartão dizia assim:

"Querido Felipe.

Que este seja um aniversário de celebração, de vida nova! Que Deus continue a abençoar a sua vida! Por isso seja muito feliz hoje e sempre!
Com carinho,
Ildete

Ps: Você acha que eu deixaria de estar presente em sua festa? Dei um jeitinho e... aqui estou eu!
Ildete Medeiros.

A Ildete é uma das pessoas importantes que eu conheci através do Blog, que mora bem longe de mim, e que me conhece somente pelos meus textos, que está aqui nesse Blog me acompanhando, orando, mandando muita energia positiva a todo instante, que me ajudou com suas palavras de carinho a atravessar barras como os ciclos da minha quimioterapia. Ildete, querida, muito, muito obrigado por absolutamente tudo, tu é uma pessoa incrível, que tenho certeza que ainda vou ter o prazer de conhecer pessoalmente, você está aqui desde o inicio, e permanece, muito obrigado. Tu me fez MUITO mais feliz hoje. Um grande beijo.

A queridona aí embaixo.


E eu, abobado com meu presente

27 de nov de 2013

Santa Diferença


Sempre gostei do mais difícil, do complicado, daquele tipo de relação que você tem que parar pra pensar, que você é surpreendido quase a todo tempo, aquele tipo de relação onde teus sentimentos mais profundos afloram, ficam a flor da pele, onde você se enxerga de verdade e tem que lidar com um monte de defeitos pavorosos seus, aquele tipo de relação que vem somente para te mostrar o quanto você precisa evoluir. E, todas essas coisas só acontecem em um tipo de relação, a relação em que as duas pessoas são diferentes uma da outra, e está aí o que eu sempre gostei de verdade, descobri que sou completamente apaixonado pelas diferenças, aquela diferença quase irritante, mas, que faz crescer. Não, eu não nasci para viver com alguém igual a mim, que concorde comigo o tempo todo, que também queira beber cerveja preta no começo da noite, que peça o mesmo prato que eu em um restaurante, que não discuta quando eu quiser pagar a conta sozinho, alguém que me diga sim a tudo, ou que simplesmente aceite todas as minhas propostas por ser as mesmas que a dele, não, não e não, eu quero ser questionado, quero ter que baixar a minha crista, quero ter que negociar programações, quero experimentar a caipirinha dele, para fazer render a minha cerveja preta, quero e preciso de alguém diferente do meu lado. É na diferença que a gente aprende, a diferença agrega, faz a gente rever conceitos, opiniões, nos faz experimentar coisas novas, um sentimento novo, ou um sabor de sorvete diferente, enfim, a diferença movimenta as coisas, e se tem coisa que eu gosto, é de movimento.
Não sou do tipo masoquista, não busco meus relacionamento para sofrer, eu sei que é bom as pessoas concordarem, terem suas coisas em comum, partilharem das mesmas ideias, em um relacionamento essas coisas funcionam, fazem a relação progredir mais fácil, mas, existir a diferença, alguma que seja, é muito importante, também faz a relação progredir, e ainda tem o beneficio de somar coisas para aquelas pessoas. Cresci muito com essas pessoas diferentes de mim que encontrei no caminho, cresci horrores na verdade, domei muitos dos meus impulsos, revi muitas opiniões que pra mim eram sagradas, eram fatos, alias, descobri com essas pessoas que fato é muito relativo, o que é fato para mim, pode ser uma grande incerteza para você, e você tem que colocar o amor acima disso, tem coisa mais bonita que aprender a fazer essa ginastica toda? Agora que me dei conta, porque eu gosto tanto da diferença, por que para amar alguém diferente, você precisa amar muito mais, independente se a pessoa fala A e você fala Z, se a pessoa ama o dia e você só quer saber da noite, se ela é alérgica a ovo e você só sabe fazer omelete, se você odeia futebol e ele é comentarista, ou se você odeia praia e ele só pensa em casar em uma, se você gosta de leite quente e ele frio, de azul e você de preto, um de TV e outro de cinema, o que prefere dormir com lençol e o que prefere edredom. É lindo ver o amor acontecer acima de todas essas coisas, é muito melhor ver um relacionamento progredindo apesar de qualquer diferençazinha, é fantástico observar o casal lidando com suas diferenças, passando por cima de qualquer coisa só para ficar juntos, só porque se amam, só porque aprenderam muito um com o outro. Que as diferenças sempre existam, que elas estejam presentes pelo menos nas minhas relações, quero dar certo dessa forma.

24 de nov de 2013

Tem coisas por vir


Tudo está voltando para seu lugar. Eu estou abrindo meus olhos novamente. A ventania finalmente cessou, e eu já posso abrir a janela. Eu já posso olhar para a minha vida, avaliar tudo que essa ventania causou. Daqui de onde estou, eu já consigo criar um distanciamento necessário para perceber as mudanças que essa tempestade causou, ou que essa tempestade trouxe. Consigo sentar muito calmamente, e olhar para tudo isso que eu vivi, consigo repassar a trajetória toda na minha cabeça, consigo separar tudo que foi muito difícil, do que foi muito pior, consigo enxergar cada pessoa que me ajudou nesse processo todo, cada pessoa que me estendeu a mão, os ombros, e os ouvidos. Das enfermeiras, aos pacientes, da família aos amigos, nunca vou esquecer de ninguém, isso é uma certeza na minha vida.

Hoje eu já consigo estar de pé, estar firme, estar seguro e convicto. Convicto de quem eu sou. Seguro do que eu quero. Consigo sentar muito calmamente, e fazer meus planos. Reestruturar a minha vida, limpar toda a bagunça que ficou, ajudar as coisas a voltarem para seus devidos lugares. Essa tempestade acabou com alguns sonhos, que eu vinha conservando, e levou muitas coisas, que hoje eu percebo que eram necessárias acabarem, mas, em compensação esse temporal trouxe muita coisa nova. Ganhei novos sonhos, ficou uma sede insaciável por viver, por ganhar o mundo. Ganhei um respeito por mim mesmo, uma admiração por essa experiência, fora a força que deixaram na soleira da minha porta, uma força que eu descobri ser minha, e que consegui usar na hora certa. Minha conversa com Deus mudou, minha Fé mudou, essas coisas se renovaram, se ampliaram, quando me ajoelho hoje tenho uma conversa direta e objetiva com Deus, consigo me sentir ouvido, consigo ouvir através do silêncio.
Estou amando perceber que eu tenho sonhos, que tenho tantos objetivos, e que eu tenho a possibilidade de tudo. Estou amando perceber a quantidade de caminhos que eu tenho na minha frente, estou viajando nas possibilidades, estou me deliciando com cada oportunidade que eu possa ter. Tenho sonhos para conquistar, e a partir de agora começa um caminhar, longo, duradouro. Obtive algumas certezas fortes com tudo isso, a primeira é que eu realmente quero ser Ator, não me imagino fazendo outra coisa, não vejo meu olho brilhar em mais nada, eu preciso atuar, preciso viver novas histórias, vivenciar novas vidas, das mais diferentes. Descobri que não consigo ser um só, preciso ser muitos. Uma vida é pouco pra mim. A segunda certeza é a necessidade que ganhei de colocar meus pensamentos, e experiências para fora, a necessidade louca de escrever, de passar alguma mensagem, de ganhar voz através dos meus textos, o Blog vai ser sempre útil, e eficaz para mim, mas, agora preciso de mais, preciso de uma capa, de páginas, preciso do meu livro, e vou em busca disso, em 2014 quero meu livro impresso, e na mão de quem me acompanhou.
A caminhada é longa, meus sonhos estão um pouco distante agora, mas, ainda assim estão perto, pois estão dentro de mim, no meu coração e na minha cabeça fervente. Estou disposto para essa caminhada.
Estou pulsando por mudanças, tem uma nova idade chegando em 4 dias, um novo ano chegando em um pouco mais que um mês, não tem como eu e você não pensar em mudanças, em vida nova, em sonhos e metas. O mundo está nos chamando, eu resolvi começar por uma coisa simples, mas muito, muito eficaz, meu quarto, coloquei ele de cabeça para baixo, e comecei a reforma, das paredes a decoração, preciso encaixar esse ambiente nesse novo Felipe. Pessoa nova, quarto novo, vida nova.
Só dar o primeiro passo... Boa sorte a todos nós.

18 de nov de 2013

Estou em um corredor

Nunca vou esquecer desse corredor, do cheiro desse corredor, das pessoas desse corredor. Aqui está super lotado, o corredor ė só o inicio dessa grande emergência, as pessoas se acomodam em suas cadeiras, enroladas em seus cobertores, enroladas em seus medos, com seus braços já roxos estendidos, tomando seus medicamentos, de olhos fechados, ou com os olhos arregalados. Nunca vou esquecer do barulho desse corredor, dos choros das crianças que parecem invadir seu cérebro, dos berros dos adultos, dos passos apressados dos enfermeiros e dos médicos, tentando atender as inúmeras mãos que se levantam pedindo ajuda, pedindo atenção. Nada aqui está perto de ser fácil, tudo ė muito custoso, ė muito duro, muito complicado. Uma coisa ė certa, ninguém queria estar aqui, as pessoas queriam estar em suas casas, nas suas camas confortáveis, comendo suas refeições gostosas, não aqui, onde as luzes nunca apagam, onde o colchão virou cadeira, onde a comida ė sem gosto e enjoativa. Quero ir embora, eu só penso nisso. A dona Maria na minha frente também quer ir, o seu Pedro reza dia e noite para sair por aquela enorme porta azul, a Cintia conversa no telefone com seus familiares e juntos fazem uma oração para isso acabar, o seu Antônio chega a sonhar que está em sua casa, longe, bem longe daqui. Todos querem ir embora. Os dias por aqui são longos, custam a terminar, muita gente passa por esse corredor, pessoas que entram por aquela porta sem parar, pessoas que saem, rezando para não voltar, médicos esbarrando em enfermeiros, enfermeiros batendo nas cadeiras dos pacientes, pacientes batendo a cabeça em seus peitos, cochilando entre uma troca de medicamento e outra, cochilando entre um exame de sangue, ou uma eco. Os dias são longos, mas, as noites são intermináveis, a madrugada passa bem diante da tua frente, e você não consegue se entregar, não consegue dormir, fechar os olhos, o movimento por aqui não para, nem as 4 da manhã. Você sonha acordado. Eu sonho acordado, tempo todo, me imaginando fora daqui, me imaginando bem de verdade, sem nenhum problema de saúde, imaginando que eu nunca mais vou precisar passar por isso, sonhando com o dia que eu consiga esquecer desse corredor, desse corredor apesar de iluminado, escuro, completamente escuro. Ė impossível não reparar quando alguém perdeu a luta, quando alguém perde essa batalha, ė impossível não perceber quando uma cadeira está vazia, quando a placa com o nome do seu Antônio ė tirada da parede, ninguém precisa dizer nada, está na cara de quem ficou, na cara dos enfermeiros, está no ar, o ar fica pesado, fica denso, fica tenso. Com isso é difícil não ter medo, é impossível não se dar conta de que você também está jogando damas com a morte, que você também está lutando por sua vida, e por mais fė, e coragem que se tenha, algumas pessoas perdem essa batalha. Eu não quero perder a minha, não antes de ganhar, não antes de ficar bem, não quero perder a bataalha sentado nessa cadeira preta e brega, quero estar de pé, quero estar firme, quero ter feito meus 23 anos, quero ter realizado minha festa, junto com as pessoas que eu amo, quero ter dançado a madrugada inteira, quero ter ido para a praia, quero ter vivido um grande amor, quero ter ido no rodízio de pizza, quero ter comido muito sushi, quero viver, e não admito morrer, não admito que isso acabe, não admito sair dessa grande festa que ė a VIDA!
Vou rezar, vou orar, e vou continuar acreditando, e vocês também, continuem acreditando, e rezem por mim, por mim, pela dona Maria, pela Cintia, pelo seu José, por todos que estão aqui, que só desocupem as suas cadeiras se for para ganhar o mundo.

11 de nov de 2013

Acabou, Mãe.


Não tem como eu escrever sobre o fim do meu tratamento, sem falar em ti. Sem pensar em ti. 
Mãe, a gente conseguiu. A gente chegou no final disso tudo. Dá para acreditar, Mãe? Acabou.
E eu sei que a tua felicidade por esse dia ter chegado, é tão grande, tão imensurável quanto a minha.
Só nós dois sabemos o que foram esses meses, né? Eu sei o quanto eu sofri, mas, sei o quanto tu sofreu por me ver sofrer. Tu sempre me disse, mãe, que se pudesse trocaria de lugar comigo, que se tu pudesse escolher era você quem estaria passando por todo esse tratamento, e eu sei o quanto essas palavras na tua boca tem valor, o quanto de verdade tu queria estar no meu lugar. Mas, sabe de uma coisa? Eu nunca aceitaria te ver passando por isso, Deus fez certo, mãe, era eu quem precisava passar, por que era você do meu lado que eu precisava, eu precisava ser forte pela gente, mãe. Tu precisava ver teu filho caçula sendo forte, crescendo com tudo isso, tu não teve o poder de troca, tu é uma super mãe, mas, não é Deus, né? Mas, tu teve um poder ainda maior, o poder de me ajudar por todo esse caminho, por estar ao meu lado ao longo de todo esse tratamento. E, eu repito, só a gente sabe o que passou, né? Mãe, eu estou aqui tentando procurar palavras, que se encaixem, que passem exatamente o que estou sentindo nesse momento, mas, é muito difícil encontrar, encontrar uma forma de te agradecer, ou pelo menos de te dizer o quanto tu foi única nessa fase da minha vida. Tu já está cansada de saber da Mãe absoluta que tu é, da mulher mil e uma utilidades que tu te transforma para dar conta dos teus filhos, para nos agradar, para demonstrar todo esse amor GIGANTE que tem aí dentro, e que eu agradeço de ser merecedor, de ter sido sorteado com essa benção, que é o teu amor, e a tua dedicação. Tu é uma baita mãe, a muito tempo, e sabe disso. Mas, principalmente agora eu entendi de verdade o porque viemos juntos nessa vida, o por que Deus me escolheu para ser teu filho, se existe essa coisa de destino, de coisas que você precisa passar, Deus só poderia escolher a mãe mais forte, para me ajudar nessa minha jornada, te vejo sendo escolhida a dedo. E, eu nunca vou conseguir agradecer da forma correta, só posso tentar te mostrar o tamanho da minha gratidão. E, por favor, não vem com esse papo que tu é Mãe, que eu não tenho o que agradecer. Mãe, eu tenho sim, tenho muito o que te agradecer. Obrigado por ter ficado comigo até o final, obrigado por ter feito dessa luta a tua, obrigado por ter ficado tão entregue nesse tratamento, obrigado por ter segurado teu choro, todas as vezes que o meu gritava mais alto, obrigado por ter me dado as palavras certas, obrigado pelas orações que você fez deitada na sua cama, ou dentro de uma igreja, ou nos corredores daquele hospital, obrigado por ter acordado cedo junto comigo, mesmo não tendo dormido nada na noite anterior, obrigado por me segurar, tanto psicologicamente quando eu te dizia que estava muito difícil, como fisicamente quando eu não tinha força para sair do banho, obrigado por tudo isso, e mais outras tantas coisas.
Eu quero te dizer, que eu posso ter 30, 40, 50, 80 anos, eu nunca vou esquecer do que a gente passou juntos nesses últimos meses, nunca vou esquecer dos teus olhos me incentivando, me motivando a continuar, a aguentar, nunca vou esquecer de todas as vezes que tu entrou no meu quarto enquanto eu chorava muito, de soluçar, e me abraçava em ti, como se eu abraçasse a chance da minha cura. Muito obrigado por todos esses abraços, pelas tantas vezes que tu só passava a mão na minha cabeça e dizia "Vai passar, filho, é só uma fase". Mãe, obrigado por ter feito eu acreditar que era só uma fase, obrigado por ter estado comigo em cada segundo desse tratamento, das consultas aos vômitos no banheiro, das sessões diárias de Quimio, a ajudar a me secar depois do banho, a ficar acordada madrugada a dentro quando eu reclamava dos meus enjoos, a me sorrir todo dia, e me dar a certeza da minha vitória, eu não conseguiria sozinho, eu descobri toda a minha força nos teus braços. Enfim, eu só quero que a gente lembre para sempre dessa força que descobrimos juntos, e que a partir de agora sejamos mais unidos, mais felizes, mais amados, mais vivos. Juntos aprendemos muito. Aprendi o que significa esse tal amor de mãe, capaz de tudo, capaz de se fortalecer para ajudar o filho, capaz de tirar força de onde não tem, de mover montanhas, tu lutou junto comigo, lado a lado, de igual para igual.
Obrigado por ter me dado a vida pela segunda vez!
Eu sou completamente apaixonado por ti. 
TE AMO, a gente CONSEGUIU!

4 de nov de 2013

Chegou a hora


Chegou a hora de revirar as gavetas, chegou a hora de colocar tudo para fora, de rasgar o desnecessário, de reler algumas coisas, de separar o que ainda considero importante. Chegou a hora de abrir os armários, de jogar minhas roupas em cima da cama, de sumir com algumas peças, de rasgar outras, de reaproveitar o que ainda me agrada, chegou a hora de olhar para o que eu visto, quero conforto, quero cores claras, quero roupas novas. Chegou a hora de mexer nas prateleiras, de organizar meus livros, de coloca-los por tamanhos, por cores, por autores, por ordem alfabética, ou organiza-los da maneira que eu ache mais bonito, sem uma regra, sem uma ordem definida, chegou a hora de ler novos títulos, de viver novas histórias, vou passar livros para frente, entrega-los para pessoas importantes pra mim, que mereçam a leitura. Chegou a hora de trocar a cama de lugar, de mudar os lençóis, os travesseiros, chegou a hora de trocar a foto de cabeceira, de mudar as fotos da parede, de rasgar ou queimar carinhosamente aquelas fotos que hoje não significam mais nada pra mim.
Chegou a hora de fazer uma limpa, de tirar sacolas e sacolas de lixo, de papéis amarelados, de bulas de remédios, de cartinhas escritas por ex amores, de cartas não enviadas, de boletos e contas que eu nunca vou pagar, ou que já paguei, de pulseiras de festas, de chaves antigas, que abriam portas mais antigas ainda, de esqueiros que não acendem, de rolhas que um dia pertenceram a vinhos abertos, que regaram momentos especiais que hoje estão fechados, ultrapassados. É hora de apagar telefones, de eliminar agendas, de comprar uma nova agenda, de dar mais espaço na memória do meu celular. Está na hora de trocar de chinelo, de mudar o shampoo, de mudar o caminho, de mudar o passo, está na hora de comprar flores, amarelas, vermelhas, coloridas, vivas. Chegou a hora de me alimentar melhor, de beber mais água, de sair para caminhar, para correr, e não vou esquecer de respirar.
Está na hora de arremangar as mangas, de fazer poeira, de pintar minha parede, de fazer novos furos nela, de escolher almofadas, de tirar novas fotos, com novas pessoas, em outros lugares, está na hora de abrir novos vinhos, em novos momentos, está na hora de escrever mais cartas, e não esquecer de envia-las, chegou a hora de gerar mais boletos, de coisas necessárias, que me façam sorrir. Chegou a hora de sorrir, de ser contente, de fazer aquela ligação que adiei, aquela visita que protelei, chegou a hora de abraçar aquele alguém, de beijar aquela pessoa na boca, de dormir junto, de acordar junto, de fazer amor até cansar, de falar até cansar, de abrir mais uma garrafa de vinho, de guardar a rolha, de guardar aquele momento. Chegou a minha hora, chegou a hora de virar tudo de cabeça pra baixo, e reorganizar, de começar de novo, de zerar o placar, de morrer na praia para renascer em outro lugar, de dar um restart, um upgrade, de abandonar, deixar para trás, de fechar algumas portas, de construir outras saídas. Chegou a hora de eu fazer minhas malas, de comprar minha passagem, de atravessar as cidades, os oceanos, eu sei que chegou a minha hora, hora de chegar, hora de viver, hora de conviver.

Sabemos quando chega a nossa hora, quando somos picados pelo bichinho da mudança, quando somos empurrados do nosso mundinho, todo "organizado", todo montado, decorado, todo ultrapassado, chega uma hora que o passado quer soltar tua mão, que o seu futuro, unido ao seu presente gritam por você, berram seu nome desesperados, chega uma hora que você tem que ouvir, que você tem que dar aquele passo, chega uma hora que as coisas não te cabem mais, de camisetas a pessoas, de livros a sentimentos, chega uma hora que você fica muito grande para ocupar o mesmo espaço que antes, quando acontece isso você tem que ir para outro lugar, que te comporte melhor, que te devolva teu conforto, teu bem estar. Chegou nosso melhor momento, onde fazemos do céu o nosso teto, do sol a nossa luminária, das estrelas as nossas confidentes, da lua o nosso amor, e da vida o nosso melhor caminho.

1 de nov de 2013

Ótimas Noticias


Hoje foi mais um dia importante na história desse tratamento, tive uma nova consulta com a Oncologista que está me acompanhando, ontem pela manhã fui no hospital para fazer o exame de sangue, para saber como esta minha imunidade essa semana, o resultado saiu hoje, e fico muito feliz em comunicar, que minha imunidade está ÓTIMA, e por isso, segunda-feira sem falta inicio meu Quarto Ciclo de Quimioterapia, o melhor de tudo foi saber oficialmente que esse Quarto Ciclo vai ser o último, exatamente isso, falta só mais uma semana, mais 5 dias, para esse tratamento chegar ao FIM! 

Bom, vou tentar escrever a sensação, a felicidade e o alivio que estou sentindo é gigante, não acredito que eu vá vivenciar essas sensações com tanta intensidade novamente, é realmente incrível ouvir a médica pronunciando que você está no FINAL do tratamento, não existe palavras para definir a alegria que isso trás, é como estar esperando uma sentença, de um Juiz que tem fama de ser muito durão, que não dá moleza, é como estar aguardando alguém definir os próximos capítulos da sua vida, você encontra-se sentado, apenas aguardando, apenas esperando, de mãos atadas. Tenho muita sorte por a minha espera ter sido menor que muitas pessoas, tenho muita sorte da sentença que me foi dada, sou apaixonado pelo meu Juiz, mas, confesso que assim que eu cruzar as portas de saída desse tribunal, eu não quero nunca mais vê-lo.
Estou extremamente grato por essa caminhada, apesar de saber que estou indo para meu último ciclo, eu só vou dar como encerrada essa caminhada, quando estiver nas minhas mãos o diagnostico de cura, a certeza que não existe nenhuma célula no meu organismo infectada por essa doença, por esse câncer. Mas, está no fim, nas minhas mãos já se encontram as requisições para fazer as tomografias, e os exames de sangue mais específicos, termino no final da semana que vem esse ciclo, e só volto a entrar naquele hospital em Janeiro, só lá em Janeiro, vou tirar férias daquele lugar, aquele lugar que ao mesmo tempo que trás a cura, trás os anseios, trás os medos, um lugar onde recebemos as melhores noticias, e as piores também, vou me despedir de um lugar onde experimentei os sentimentos mais diversos, onde muitas vezes sorri, e muitas vezes chorei, vou me despedir daqueles corredores que acompanharam eu pra lá e pra cá, enquanto esperava com ansiedade os resultados dos meus exames, enquanto esperava ser chamado para iniciar mais um dia de quimioterapia, vou ter que me despedir daquela sala, onde eu via as bolsas cheias de medicamentos chegarem, onde uma enfermeira simpática pedia meu braço, para tentar achar uma veia disposta a receber toda aquela medicação, vou me despedir daquela sala, onde passei longas horas sentado, horas deitado, aguardando as quatro bolsas de drogas acabarem, onde eu lia, onde eu olhava para a TV tentando esquecer o que tinha no meu braço, o que tinha na minha vida, vou me despedir de um lugar que me permitiu conhecer as melhores pessoas, que um dia eu poderia conhecer, as pessoas mais guerreiras e fortes que eu já vi na vida, pessoas que sorriam enquanto contavam as suas histórias, nunca vou esquecer o rosto de cada uma delas, nunca vou esquecer dessas pessoas que torciam pelas outras, tanto quanto torciam por si próprias, pessoas mais velhas, cheias de vida, e principalmente cheias de esperança, de fé, de carinho pela vida, pessoas que me emocionaram diariamente.
Estou extremamente grato por essa caminhada. Obrigado, meu Deus, por ter me escolhido, por ter me dado essa oportunidade, a oportunidade da mudança, a oportunidade de dizer adeus para um verde que eu ainda tinha, dizer adeus para uma imaturidade, e um despreparo diante da vida. Obrigado, meu Deus por me mostrar que eu posso tudo, que eu tenho força, e principalmente por me mostrar que a vida é muito mais que isso, por me mostrar que as coisas simples tem valor, que amigos e família são únicos e indispensáveis, obrigado, meu Deus, por ter me dado essa luta, e por estar trazendo a minha vitória. Espero ter conseguido te orgulhar, espero que o senhor, e meu Pai, estejam aí em cima completamente felizes pela minha luta, agradeço por tudo que fizeram por mim ao longo dessa jornada. Agora é comigo, vou fazer a minha parte, e tenham certeza que dessa história toda, saí um homem mais maduro, mais corajoso, e muito, mas, muito mais FELIZ!

Cicatrize


Procuramos sempre ser evoluídos. Acredito que estamos aqui justamente para isso. Para aprender. Mas, não podemos negar nossos sentimentos, não podemos fechar os olhos para as coisas do coração. Aprendi a respeitar os meus sentidos, aprendi a respeitar o tempo que levo para digerir as coisas, acredito em um tempo muito particular, um tempo seu, de acordo com suas vivências, de acordo com suas verdades, e quanto a isso ninguém pode lutar, nem mesmo você. Aprenda a respeitar esse tempo, a respeitar suas vontades, a respeitar seus sentidos, seu sexto sentido. Entendi de uma vez por todas, que por mais evoluído que eu procure ser, tem coisas que pelo menos por enquanto, não podem ser de outro jeito, eu estaria indo contra meu coração. Por isso, não posso te aceitar agora, não quero aceitar agora, não posso restabelecer uma conexão, forçar uma nova ligação, essas coisas não funcionam sob pressão. Demorei, mas aprendi que existem feridas que não podem simplesmente levar pontos, serem fechadas na marra, na hora que você resolve fazer isso, tem feridas que precisam ser cuidadas todos os dias, lavadas e medicadas, ou só precisam ser esquecidas, deixadas, literalmente curadas e fechadas com o tempo, não aquele tempo de calendário, de relógio, esse tempo não vale nada para esse tipo de coisa, o que essas feridas precisam é do seu tempo, do tempo sentimental, é o coração quem cuida disso.
Mágoa não é boa, não faz bem, e todo mundo sabe disso, mas, ter alguma mágoa não te faz pequeno, não te faz menor que ninguém, se você tem mágoas, é porque você tem sentimentos, e provavelmente sentimentos que foram feridos, machucados por alguém, e quanto a isso meu caro, não se pode fazer nada, apenas esperar, esperar aquele tempo que relatei lá atrás. Não se envergonhe de suas mágoas, de suas feridas ainda abertas, repito, isso não te diminui, não te inferioriza. Absolutamente não luto mais contra os meus sentimentos, contra a minha essência, observo o que ainda não foi cicatrizado dentro de mim, e trabalho para isso melhorar, para eu melhorar, mas, sem apressar nada. Posso te perdoar, e se achar a palavra perdão muito forte, eu uso desculpar, o perdão e a desculpa acontecem naturalmente, em uma terça-feira ensolarada, ou em quinta-feira parada, não sei, elas simplesmente acontecem, é natural, é humano, e não podemos esquecer que são somente palavras. A tua ação, ou tuas ações em algum momento machucaram, foi contra meus princípios, foi contra o que eu quero pra mim, foi contra a gente. E, hoje, principalmente hoje, nesse meu novo momento, é contrário a tudo que eu aprendi, a tudo que eu desejo para a minha vida, então, não posso te aceitar, não quero aceitar, não vejo conexão, e não acredito em uma nova ligação. Isso é a forma que encontrei de me respeitar, de respeitar as feridas que foram feitas algum dia, e que hoje estão sendo cicatrizadas. Não se pode atravessar uma vida imune, sem se machucar, e sem ser o causador da mágoa de outras pessoas, os motivos e as oportunidades para isso acontecer, estão aos montes, soltas por aí, as vezes nem mesmo podemos evitar. Aos que magoei, quando percebi que era sincero, usei a desculpa, ou até mesmo o perdão, e nunca me envergonhei disso, depois disso, eu simplesmente me afastei, tirei o meu time de campo, dei o espaço que acho necessário, um 
espaço para a pessoa respirar, e começar a tratar a ferida que eu deixei, isso é respeito, isso é amar aquela pessoa que por alguma ação minha, foi machucada. O tempo que esse tratamento vai precisar, o tempo que o perdão vai levar para chegar até você, bom, meu caro, isso nunca saberemos imediatamente, se em uma terça-feira parada, ou em uma quinta-feira ensolarada, quem vai saber? Faça sua parte. Respeite o tempo dela. Respeite o seu tempo.