f Adeus, verde.: Setembro 2013

30 de set de 2013

Dia de Nuvem



Levantei da minha cama, dei alguns passos, e não demorou para eu perceber. Reparei só com alguns movimentos, com poucas ações, antes mesmo de conseguir passar pela porta do banheiro, que aquele dia tinha começado diferente. Eu acordei Simples. Simples, e leve. Era o tipo do dia que você passa a entender melhor a expressão "andando nas nuvens". Cada gesto é apreciado, por mais comum e cotidiano, como lavar o rosto, escovar os dentes, parar e se olhar no espelho por questão de Dois minutos, depois ir para seu quarto, abrir a janela, reparar no tempo, abrir seu guarda-roupa, sentar diante dele, e olhar para suas camisas, cada cor, olhar para a janela de novo, voltar a atenção para o guarda-roupa. Parar de olhar para as camisas, e ligar a televisão, ouvir aquela música que sem querer está tocando, e você adora. Aí, sim, você esquece das camisas, já está com a cabeça encostada nos teus travesseiros, enquanto a música toma teu quarto, toma tua mente. É, tudo simples. É, leve. Você só tem Dez minutos para sair de casa, e ainda está sem calça, e sem definição da cor da camisa, mas, não importa, hoje você vai de branco, branco liso, sem estampas, pode ir de chinelo? Cabelo você nem olha, hoje ele acordou lindo, e leve também. Desliga a televisão, a música para, para, mas continua dentro da sua cabeça, enrolada nos teus lábios, enquanto você canta baixinho "lá, lá, lá.. lá lá" como se fosse um grande cantor, com um grande timbre. E, nisso você já está na rua, no vento, na brisa, não tem dia melhor pra se estar, não tem temperatura mais agradável para se sentir. O fato de você estar de branco, com uma fruta na mão, e com um ventinho no rosto, não te incomoda em nada estar indo para o trabalho. Por que, você sabe que é um dia simples, simples e leve. Todas as tuas ações, tuas palavras, tem um afago, tem uma presença de tempo certo, quase palpável. Por isso você não poupa "Bom dia", "Bom dia, seu pedro" "Bom dia, querida... terceiro andar, sim, já te disse bom dia?" "Bom dia, Maria" "Bom dia, gurias" "Bom dia, Carlos" "Bom dia, Vilminha, já tem café? Ah. não te preocupa, deixa que eu passo" "Já te dei bom dia, meu amor?" E, antes que alguém canse do "bom dia", a tarde chega, ainda mais linda, mais leve, e mais simples. "Boa tarde, seu Pedro, já almoçou?" "Boa tarde Maria" "Dei boa tarde pra vocês, gurias?"
Vai ser assim teu dia inteiro, te acostuma, fazer o que se você acordou Simples, leve? É o dia de chimarrão no fim da tarde, é o dia de sentar de baixo de uma de árvore, é o dia de goiabada, de queijo branco, de suco de maracujá, de abacaxi, laranja fresquinha. De pé no chão, de pé na água, de pés pra cima, de almofada, de travesseiro, de lençol fininho. De abraço quente, abraço apertado, abraço de lado. De covinhas, de sorriso largo, de palavras pequenas. De mãos dadas, de mão no rosto, de mão na boca. De bater palma. De fechar os olhos, fechar o guarda-roupa que ficou aberto no inicio do dia, ligar a música novamente e dormir cantarolando "lá, lá, lá.. lá lá"

É esse dia que vale a pena.

29 de set de 2013

Por mim, Por nós


Eu sei que eu vou aguentar. Eu sei que tudo isso vai passar. Eu sei. Por mais que agora pareça longe. Mas, eu sei. Vai passar. Eu quero dizer pra todos que eu estou forte. Que eu vou aguentar. Que dói, que está doendo, mas que eu juro que eu aguento. Quero dizer que não é por que hoje está difícil, que isso vá diminuir a minha certeza. Quero deixar claro, que o fato de eu chorar agora não vai diminuir em nada a minha Fé. Eu, preciso chorar. Choro por que to cansado, por que está tudo virado, de cabeça pra baixo. Por que as vezes eu esqueço como eu vim parar aqui. Mas, esse choro não diminui a minha perseverança, esse choro não apaga a minha força, a minha vontade de vencer. Eu quero levantar daqui, e ganhar o mundo. Ganhar um novo mundo. Onde eu possa ter oportunidade de fazer tudo diferente. Com meus princípios restaurados. Estou ansioso, eu tenho esse direito de estar ansioso pela minha vida nova, mas, quero deixar claro, que essa ansiedade não vai atrapalhar em nada esse processo, que é de espera. Eu sei esperar. Estou aprendendo.
Quero pedir que confiem em mim, que vocês possam me ver chorar, mas que saibam que mesmo assim eu continuo forte. Quero dizer que eu posso ficar desanimado um dia, mas que isso não faz eu desacreditar em todas as graças que eu recebi até aqui. Eu, to bem. Eu vou ficar bem. Quero pedir que confiem em mim, quero pedir aos meus irmãos, que acreditem em mim. E, que eu sei que isso tudo pode parecer muito louco, e desajustado, que parece que tem alguma coisa errada, que isso que não deveria estar acontecendo com o Caçula, nem com nenhum de nós Seis, mas eu quero que vocês confiem em mim. Eu to bem aqui, to firme, to seguro. Isso vai passar, tão repentinamente quanto chegou. E, a única certeza que tenho no meio disso tudo, são VOCÊS. Obrigado por esse Amor, obrigado por estarem comigo, no sentido mais verdadeiro e lindo da palavra "estar".

EU SOU MUITO FORTE, POR NÓS.

Uma Geral na Confiança

Durante a nossa vida toda passamos nos relacionando, criando relações com as outras pessoas. Primeiro, vem a nossa família, onde aprendemos de verdade o que é uma relação, onde experimentamos desde muito cedo, todos os tipos de sentimentos por aquelas pessoas que já estavam ali, antes mesmo da gente nascer. É com família que vamos conhecer a fundo, e de verdade o que é Amor, e o que é a Raiva. São eles que vão despertar na gente, as coisas mais bonitas, e as piores também. Família é o nosso cursinho pré vestibular dos sentimentos, onde estudamos todos os valores dos seres humanos, e escolhemos aqueles que pra nós são imprescindíveis, aqueles que queremos ter, e que não queremos que falte nas nossas futuras relações. Pois, agora você pode escolher a vontade com quem conviver, com quem estar, com quem compartilhar. Amizades surgem, relacionamentos afetivos tomam forma, e para tudo isso dar certo, você tem que ter aprendido de verdade o que são valores. E, de todos que eu conheci, um sempre me chamou muita atenção, eu sempre soube que era aquele valor que fazia os relacionamentos andarem, girarem, irem para a frente. Como se fosse uma grande máquina, mesmo, e que a peça principal para fazer aquilo tudo andar, era sem dúvida a Confiança. Não tinha peça que pudesse substituir, não tinha o que colocar no lugar se a Confiança falhasse. Se no meio de uma relação, essa peça falhar, tudo acaba. Vai pro chão. Não importa a gratidão, o amor, o carinho, o afeto, o respeito, nada disso importa. Se a confiança está suja, todas as outras peças dessa máquina perdem a força.
Hoje, é isso que me importa. Aliás, hoje é só isso que espero das minhas relações, e das que ainda virão. Relações que tenham essa peça, chamada Confiança tinindo. Eu preciso disso para ter a certeza do caminho, para ter a segurança que vou chegar até o final, bem acompanhado. Com tudo funcionando. Então, sem mentiras, sem joguinhos. sem qualquer "produto" que possa enferrujar essa grande máquina. Que é a relação entre duas pessoas.

28 de set de 2013

Amanhã Melhora

O pior dia, é o dia depois que acaba o ciclo da Quimio. Hoje, no caso. Pois, é a hora que os medicamentos começam a fazer efeito de verdade dentro do seu organismo. Então, tive um dia do cão. Dormi uma noite super falhada, acordei muitas vezes agitado, os pensamentos parecem que criam vida, tudo muito confuso, em desordem total. Fora os enjoos, daqueles que você sente fome, mas não consegue pensar no cheiro da coisa. Durante o dia hoje, só consegui dormir e acordar, e cada vez que acordava estava mais cansado do que tinha ido ao dormir. É uma exaustão, que não tenho como explicar. Achei, que eu não ia nem escrever hoje, pois, to fraco de verdade, cada letra que eu acrescento no texto requer uma energia enorme minha.
Mas, lembrei que eu preciso escrever. Lembrei, que eu preciso me lembrar de hoje. Lembrar que teve dias difíceis, sim. Dias, que a única coisa que eu queria era que acabasse, que passasse. E, quero lembrar lá na frente, que passou mesmo. Que eu consegui passar por mais um dia, nesse processo todo. Repito, a Quimioterapia não é fácil, não achei que fosse algo tão difícil. Mas, também nunca achei, que em algum momento da minha vida eu fosse ter força para passar por tudo isso. Sempre, me achei fraco, passei a infância e adolescência dentro de consultórios médicos, tratando as causas das minhas gripes, dores de garganta, sinusite, enfim, todas essas coisinhas que tiram um pouco da nossa saúde, e que me deixavam nocauteado em cima de uma cama. Agora, estou lutando com coisas maiores, e tendo a certeza que não vou entregar o jogo, que dessa vez não saio nocauteado. A vida é isso, não é? Dias melhores, outros nem tantos. É desse jeito que a gente cresce. Evolui. Tira novas lições. Fica forte de verdade, e acaba acreditando ainda mais em nós mesmos. Que amanhã chegue, com uma energia redobrada.

27 de set de 2013

Você vai rir, sem perceber

A parte maravilhosa de ter esse espaço aqui, é conhecer pessoas de muita luz, que romperam a barreira da distância e se fazem presentes todo o dia, com seus recados carinhosos, mesmo sem me conhecerem pessoalmente. E, hoje eu fui pego totalmente de surpresa, com um gesto lindo de uma leitora e agora amiga Lídia Schneider. Que me enviou uma música, que sua filha conheceu em Sala de Aula, e que a fez lembrar de mim, de sua Mãe, e dela própria. 
Confesso, já ter ouvido essa música. Mas, foi em outro momento da minha vida, onde só parei para escutar com os ouvidos, e dando pouca importância para o que era falado. Hoje, parei o que estava fazendo, chamei minha Mãe no meu quarto, abri a música pra nós dois ouvirmos. E, com isso tive o momento mais lindo, e emocionante desse ciclo todo. Chorei abraçadinho na minha Mãe, até o final da canção. Choro de felicidade. Choro de conquista. Por tudo que a letra nos ensina, e que hoje, se encaixa tão bem com o meu momento. 

Obrigado, Lídia.

"Tem vez que as coisas pesam mais
Do que a gente acha que pode aguentar
Nessa hora fique firme
Pois tudo isso logo vai passar"



FELICIDADE - Marcelo Jeneci




Quimioterapia - Último Dia. E, a Exaustão

Estou literalmente Exausto. A semana chegou ao fim, trazendo o último dia desse Segundo Ciclo de Quimioterapia. Tenho muito o que agradecer, pois além de tudo, a Semana passou muito rápida. A exaustão é normal, seja pela rotina de acordar todo dia muito cedo, e de ficar as Seis horas dentro do Hospital, recebendo as bolsas de Quimioterapia, e claro, no final da semana os medicamentos já começam a fazer mais efeitos, dando essa sensação de canseira e fragilidade física. Mas, fora isso não posso falar mais nada, dessa vez os enjoos quase não apareceram, já que no Primeiro Ciclo parecia que eu estava com Sete grávidas no começo de suas gestações, vivendo dentro do meu corpo. Descobri de verdade o que é um enjoo. 
Diversas vezes na vida chegamos a Exaustão, quando seu Corpo, sua Mente, já tão cansados te pedem para parar, praticamente te imploram, ligam aquela "luzinha vermelha" interna, avisando que não dá mais, que você precisa se entregar, pelo menos um pouco. Bom, descobri que na verdade o primeiro a dar esse alerta é a nossa Mente, que está sempre nos pondo em dúvida, duvidando da nossa própria capacidade. O corpo, ele só acompanha esse processo da Mente, de tanta insistência acaba por ceder. E, nesse caso, ceder não é bem vindo. Aprendi, que seja em qualquer situação das nossas vidas, em uma jornada longa de trabalho, em um preparo de TCC, que parece não ter fim, em uma noite longa que você não consegue dormir, seja por estar cuidando de alguém, seja por estar com problemas demais na sua cabeça, Enfim. Em qualquer situação que nos leve aos nossos limites, a primeira coisa que pensamos é que não aguentamos mais. Mas, sim. Sempre aguentamos muito mais. Podemos driblar a Mente, e encorajar nosso Corpo, essa nossa máquina, que só quer trabalhar a favor da gente.
Eu, encontrei força nessa semana, nos meus companheiros de luta, nos olhares daqueles que apesar de já estarem com o Corpo bem mais cansado do que eu, ainda estavam ali. De pé. Exaustos, mas com o sorriso e a gentileza de verdadeiros garotos.

Ache os seus motivos para sair dessa exaustão que ás vezes aparece. Ache bons motivos para continuar. Eles sempre existem. Estão dentro de você. Ou, ao seu lado. Mas, sempre estão por aí.



Essas são minhas 4 bolsas de Quimioterapia. Parceiras diárias nesses ciclos.

26 de set de 2013

Câncer. A minha História

Muitas pessoas demostraram interesse em saber um pouco mais sobre essa doença, sobre meus sintomas, e de como funciona a Quimioterapia realmente. E, acho interessante se eu puder descrever coisas que ajude quem também está passando por isso. Como eu escrevi em um dos primeiros textos do Blog, eu não fazia ideia do que era essa doença, chamada Câncer. Só tinha o medo desse nome. Ainda é uma doença que assusta muitos, é aquela coisa, só temos medo do que é desconhecido. Então, tive que me informar, o máximo possível  para entrar nessa batalha. 
Existem inúmeros tipo de Câncer, e cada um vai receber seu tratamento específico, fora que na maioria das vezes é uma doença silenciosa, e isso também vai influenciar no seu tratamento, quanto tempo você levou para descobrir que tem essa doença. Eu, repito aqui. Tive, e tenho muita sorte em todo o desenrolar da minha doença, da descoberta ao inicio do tratamento com as Quimios. Sou muito jovem, e descobri a tempo suficiente de ter uma esperança de 90% de cura
De um ano para cá, eu reparei que meu Testículo direito era um pouco maior e mais incomodo ao tocar do que o Testículo esquerdo. Mas, como eu sentia só uma vez que outra, uma dor mais intensa ali, eu esperava ela passar e adiava mais uma vez a ida ao Urologista (como qualquer pessoa, que odeia ir em médico) Só, que em uma manhã acordei com uma dor imensa nas costas, na altura dos Rins, fui para a emergência e descobri que tinha ganhado duas pedrinhas nos meus Rins, bem pequeninhas, mas acompanhada de uma dor insuportável, o famoso Cálculo Renal. Que me fazia agachar e chorar por várias madrugadas a dentro. Sim, essas pedras não tinham nada haver com o meu Câncer, mas foram graças a elas que eu entrei na sala de um Urologista.
E, observei ele me examinar, observei a mudança no rosto dele, quando tocou no meu Testículo direito, e pediu que eu me vestisse, sentou na sua cadeira, e perguntou se eu estava acompanhado por alguém. Observei minha mãe entrar na sala, então ouvimos a primeira palavra dessa descoberta toda: Nódulo.
A partir daí, com os vários Exames solicitados, o Nódulo passou a se chamar Tumor, depois foi reconhecido como Tumor Maligno, então veio a minha cirurgia para retirada. Mais uma bateria de Exames, e Tomografias, até chegar naquele nome que eu tinha medo: Câncer. Tirei os tumores (descobrimos que eram dois, no fim das contas) mas as células cancerígenas continuaram no meu organismo. E, com os marcadores da doença ainda bem altos. Então, graças a Deus, consegui ser encaminhado pelo SUS para iniciar minha Quimioterapia rapidamente. Pois, 11.000,00 por Ciclo de Quimioterapia eu realmente não teria condições de pagar. Até por que eu precisaria de 4 Ciclos, a princípio.
Bom, a história é longa, mas isso tudo aconteceu ao longo de 3 meses. Hoje, como todos sabem, estou fazendo minhas Quimios, completando meus Ciclos. E, tentando eliminar para sempre esse Câncer.
A Quimioterapia é a parte bem difícil. Mas, deixo pra escrever mais sobre ela, depois. Já que ainda temos uma pequena Jornada pela frente.

Esse é Você

Sempre questionei minha existência. Sempre me perguntei o que eu vim fazer nesse mundo. Pois, sempre acreditei naquela "tal" missão, que cada um recebe antes de vir parar aqui na terra, antes mesmo de conhecer sua nova família. Isso sempre me intrigou, sempre causou uma inquietação. Eu, não queria vir até aqui, para passar em branco, para uma hora simplesmente meu tempo se esgotar, e eu ter continuado o mesmo. Não. Isso eu nunca admiti. Mas, sou muito jovem, e sempre usei esse fato para me justificar, para deixar para amanhã minhas buscas, para esperar o amadurecimento chegar quando eu tivesse meus Trinta anos. Assim, eu ganhava mais tempo fazendo coisas que todo jovem gosta, e que eu já tinha feito até demais. Muita festa. Muita bebida. Muitas transas. Muitos amores. Muito tudo. Tudo muito. Sem limites, sem parar pra pensar. E, com isso fui me encobrindo, deixando de ser quem eu tanto falava que queria ser. Sempre deixando para amanhã. Hoje, eu sei, que isso era medo. Medo de encarar as consequências de me tornar um cara Maduro. De abraçar e peitar todas minhas decisões. De parar de cobrir meus "buracos" com álcool, fumaças, e luzes de neon. Usei muitas noites para pedir a Deus, pedir uma mudança em minha vida, eu queria parar, mas nunca conseguia por vontade própria, sempre agarrado na falsa mentira do Amanhã, que nunca vem.
Dizem que você tem que ter muita segurança no que você pede, por que uma hora pode se realizar. E, comigo está sendo assim, essa foi a maneira de fazer eu parar TUDO. De encarar quem eu quero ser de verdade. Meus Trinta anos chegaram mais cedo. E, nunca me senti tão completo, tão inteiro.
Hoje, é engraçado, meu quarto tem inúmeras fotos minhas espalhadas pelas paredes, então me enxergo o tempo todo, enxergo, mas não me reconheço. Pode parecer exagero, mas a verdade é essa, não me reconheço em fotos, em videos, ou até em lembranças pessoais. Vejo ali um Felipe, que eu gosto, que tenho respeito por toda sua trajetória, mas que é muito diferente desse aqui. Aquele Felipe precisava ser abraçado, já esse quer abraçar. Temos que perder coisas para ganhar uma nova visão. Acho que sem cabelo pude enxergar melhor os meus olhos. Pude enxergar o que havia de verdade dentro deles.

25 de set de 2013

Quimioterapia - 3° Dia

Toda vez que paro pra escrever aqui, tento não ser repetitivo. O que é uma grande missão, ainda mais quando você está cheio de energia boa, e vai escrever sobre sentimentos, sobre suas atuais percepções. Já cheguei a conclusão que falar sobre Força, Fé, Amor, Determinação, Felicidade, e Aprendizados, acaba sendo um pouco clichê, coisas do coração são assim mesmo. Mas, vamos lá. Hoje é meu Terceiro Dia de Quimioterapia, e posso ser sincero? Está sendo muito diferente da Primeira Semana. Estou muito mais disposto dessa vez, os enjoos continuam super contidos, na deles. E, eu realmente me sinto bem. Não posso deixar de pensar que estou assim, graças as várias Orações que tenho recebido, graças a toda essa energia que estão me mandando, graças a essa imensa corrente que se fez entre meus Familiares, Amigos, Conhecidos e Pessoas que nem sequer conheço, mas que estão aqui no Blog, acompanhando tudo de pertinho e ainda por cima deixando seus recados cheios de luz. Eu, nunca vou esquecer de tudo isso. Não tem palavras que eu escreva aqui que represente a intensidade da minha gratidão.
Eu, estou fazendo tudo certinho por aqui. Tenho chegado das Quimios e repousado muito, tenho lido, tenho escrito, e tenho visto minhas séries. A minha mãe é uma super cozinheira, então minha alimentação está ótima também, e tenho feito uma coisa que nunca na vida consegui fazer, beber mais de 2 litros de água por dia, peguem suas garrafinhas e bebam. Sério, é uma dica de ouro, ajuda muito nosso Corpo Humano, muito mesmo. 
Enquanto a minha cura oficial não chega. Eu encho minha imaginação de coisas que quero muito fazer, ou simplesmente voltar a fazer, assim que eu tiver bem. Quero sentar num Bar com meu amigos, quero ficar sentado ali daquele jeito descolado de fim da tarde, conversando, filosofando, e rindo. Quero muito rir com meus amigos novamente. Quero dançar muito, e na minha volta quero ver todos que amo dançando juntos, fazendo até passinhos, ah, eu quero. Quero ir no cinema. Quero sentar em um Parque, e não pensar em nada, só ficar olhando pro céu. E, agradecendo. Quero ir para Praia, ver o mar, sentir a brisa. Quero colocar o pé na areia. Nossa, eu já fiz essas coisas inúmeras vezes na minha vida, mas nunca dei o valor certo, o valor merecido. Nunca apreciei de verdade essas coisas, então só penso nessa segunda chance, de voltar lá e fazer tudo isso, de outro jeito. Aprendi a ser inteiro. A estar inteiro nas coisas "simples" dessa vida louca.





Em 2011. No sossego de Florianópolis. 

24 de set de 2013

Medos. Apenas medo

Medo é uma coisa engraçada, Por que sem ele nós não teríamos nenhum limite, estaríamos volta e meia nos arriscando, colocando nosso pescoço na forca. E, concordamos que isso não seria nada bom. Mas, tem o outro lado desse medo, aquele lado que nos paralisa, que não deixa a gente arriscar, não deixa a gente dar um passo importante na nossa vida, que nos deixa congelados diante do problema, ou quem sabe até da solução, se você perdesse o medo, e fosse.
Não posso negar. Eu senti muito medo quando soube do meu Diagnostico, e quando a necessidade das Quimios foram confirmadas. Senti um medo imenso, que não tenho como explicar. Eu tive medo de morrer, tive medo de abandonar o que mais amo, que é essa vida aqui. Tive medo. E chorei feito criança. A diferença dessa vez é que esse medo não me travou, ele me impulsionou, fez eu levantar. Fez eu me olhar de uma maneira que nunca tinha visto antes, com sangue nos olhos por viver. Por batalhar. Por vencer. Mandei o medo embora, e nem precisei pensar para isso. Digo tudo isso, por uma razão. Aceite o medo. Ele existe, é sinal que você teme por algumas coisas, sinal que está vivo de verdade, que é humano. Só, não deixe ele te incapacitar. Em qualquer situação. Seja medo de fazer aquela ligação. Seja o medo de dizer o que você sente. Medo de mudar de vida. De trocar de trabalho. De atirar tudo pro ar. Simplesmente porque você está infeliz. Se for assim, por favor, perca esse medo. Arrisque. Tente. Perca o medo logo, só não perca mais oportunidades por conta dele.

Quimioterapia - 2° Dia


Mais um dia de Quimioterapia. E, não posso reclamar. Estou bem até agora, os efeitos ainda não apareceram. Os enjoos não existem, graças ao Dramin, que tomo em tempo em tempo. A canseira é normal, devido ao tempo que fico no hospital, acordo cedinho e só volto a tarde. Mas, tudo realmente por uma ótima causa. Lá na sala de Quimioterapia, ficamos normalmente de 10 a 12 pacientes, cada um em sua poltrona reclinável, de frente para a Televisão, onde acompanhamos toda a programação da Globo, do porre do Louro José, até os filmes repetitivos da Sessão da Tarde. Mas, ok, eu levo meus fones e meu livro sempre, ha ha ha.
Como, estamos em muitos na sala, acabamos criando laços com os companheiros de maratona, que também estão ali lutando. Juro, Eu não poderia estar em melhor lugar. Sou o mascote da turma, com meus recém 22 anos, e o restante do pessoal entre 50, 60, 70 ou até mais. Não preciso nem dizer o quanto aprendo, o quanto fico parado observando todos eles, prestando atenção na educação deles, na calma com que falam, e nos seus olhares que brilham, que dizem a verdade. Ali, tem muita historia de vida, muita gente fazendo Quimioterapia a 12, 15, 20 anos. Muitos estão ali só pra ganharem mais um mês, dois, ou um ano de vida que seja. P
ra eles vale a pena. É o que eles querem. Lutar contra essa doença. E, vou dizer, que baita lutadores! Melhor de tudo, é ver seus parentes, que entram na Sala para fazer suas breves visitas, para trazer um lanche, para darem água pro seu familiar que está ali sentado a algumas horas, eles abrem a garrafa, muitas vezes dão na boca, dão um beijo na testa, perguntam como estão, acariciam as suas mãos, e avisam que qualquer coisa estão ali do lado de fora, esperando. Estou vendo gente boa todo dia. Gente de verdade, que AMA de uma maneira que não é fácil amar, em uma circunstância que o medo pode atrapalhar o amor, mas não. Eles estão ali todos os dias, juntos. Dando a mão, dando a palavra, o carinho. Que posso dizer que é mais eficaz que qualquer medicamento que tomamos na veia. Um salve a todos os lutadores, muita Força, Amor, e Fé para todos aqueles Senhores e Senhoras, que já sabem tanto da vida, mas nem por isso perderam aquele sorriso encantador. Amo vocês.

23 de set de 2013

2° Ciclo. Semana de Quimioterapia

Hoje iniciei mais um Ciclo de Quimioterapia, minha segunda semana está começando. E, vocês não fazem ideia do tamanho da minha felicidade por isso. Bom, pra quem não sabe alguns detalhes, vou explicar. Iniciei meu primeiro Ciclo de Quimio, dia 16/agosto, o Ciclo dura Cinco dias, então fico de Segunda a Sexta, das 08 da manhã até umas 14:30 no Hospital (Isso varia muito, pode demorar um pouco mais, ou até me liberar mais cedo. Vai depender da agilidade das enfermeiras, Ps: elas são ÓTIMAS, vai depender também da entrega da farmácia e até das minhas queridas veias, que as vezes estão com mais pressa que eu para ir embora, graças a Deus) Terminada a semana de Quimioterapia, eu descanso por Duas semanas, fico em casa, no já famoso repouso, e com uma ótima alimentação (De mãe) Aí, nessas Duas semanas é só esperar o meu organismo fazer o efeito, e começar a matar todas as minhas células, sendo elas boas, ou ruins, e dar aquele "Restart" necessário no Corpo Humano. E, como se trata de Corpo Humano, é uma grande caixa de surpresas,
ele tem que responder, me ajudar. Semana passada fui impedido de iniciar o Segundo Ciclo, pois estava com minhas Defesas muito baixas, o que parece ser normal nesses primeiros dias de tratamento, A doença é tão nova pra mim, quanto para meu corpo. Ele tem o tempo dele, tenho que aprender a respeitar.
O que importa, e, me deixa escrever esse texto com um sorriso irritante de tão feliz, é que essa semana minhas imunidades estão mais altas, estão ótimas, então pude iniciar essa nova etapa com a cabeça tranquila. A semana não é fácil, com todas suas reações e efeitos colaterais, mas é nessa hora que uso tudo que venho escrevendo aqui no Blog.

Muito obrigado por todo carinho. Nunca é demais. E me acompanhem nessa semana.

22 de set de 2013

Até logo, Peter Pan



Não tenho Síndrome de Peter Pan. Não me recusei a crescer, a amadurecer. Não fiquei agarrado a infância, sem querer soltar, sem conseguir dizer adeus. Mas, tenho que admitir que essa transição não é fácil, não é simples de ser feita. É dolorido abandonar o fácil, a inocência, a cor que essa fase tem, e partir para algo totalmente novo, dar um passo no escuro rumo as novas responsabilidades, rumo ao mais difícil.
Já não brincamos com aquela facilidade, ou nem mesmo brincamos. As horas ganham um outro sentido. Nossas obrigações se tornam maiores que colorir mandalas em sala de aula. Descobrimos que existe outros motivos além de apresentar trabalhos em grupo, que possam nos causar ansiedade. Desenhos animados viram documentários. Papel de carta, Álbum de Figurinhas mudam para cobranças e boletos bancários. Uma caixa de sapato vira lixo, não mais a mansão de seus bonecos.
Isso que sinto falta, desse olhar transformador que as crianças carregam, capaz de transformar qualquer pequeno quarto em uma Gigante Galáxia, qualquer meia dúzia de potinhos em deliciosos Bolos, Tortas, Macarrão. Sinto falta da atenção que as crianças dão para as coisas, aquele olhar curioso, atento, querendo descobrir, querendo desvendar, e principalmente, achando graça de tudo aquilo. Achar graça nas coisas, sorrir, apenas por sorrir, por mais idiota que pareça aos "Grandões". Quando penso assim, vem aquela leve nostalgia, nostalgia do que deixamos de ser. Tem aquele papo de não deixar a criança que tem dentro de você morrer, e acredito nisso, acredito sim que tem coisas que podemos manter vivas dentro da gente, é um trabalho de reciclagem lindo. Mas, aquele olhar, aquela inocência perante as pessoas, perante as coisas da vida, o olhar de surpresa e descoberta, bom, isso somos obrigados a deixar. A não ser, claro, que possamos partir para novas descobertas, e assim sermos surpreendidos, quem sabe até por nós mesmos. Essa busca e essa reciclagem vai depender de cada um. Mas, sempre que possível, traga sua criança de volta.

Ps: Sim, sou Eu e minha Irmã, felizes na Páscoa com a cesta de Ovos de chocolate que o Coelhinho tinha nos deixado aquela madrugada.

21 de set de 2013

Enorme Obrigado




Hoje fazem Uma semana que fiz o Blog. Mas, como fiquei esses Sete dias grudado nele, me parecem mais. Dei inicio ao Blog, pois queria escrever, ter espaço, colocar para fora todos meus pensamentos e sentimentos, que nessa fase ficaram bem aflorados. Gosto muito de escrever, além disso se tornou uma grande Terapia, e o melhor: "Grátis". Mas, ainda melhor que isso, foi poder ver o Blog crescer, e cativar alguns leitores de verdade, aqueles que podem até ter entrado aqui só por curiosidade, mas que leram, se identificaram, gostaram, e ficaram. Agradecer as pessoas que gastam Três, ou Quatro minutos do seu dia para lerem um novo texto que eu posto. Agradecer as pessoas que realmente se interessam por esse tipo de leitura, e que se permitiram conhecer o Blog, e partilhar do que eu "falo". Não tive a pretensão de ter muitos leitores, pois hoje em dia atrair pessoas falando de sentimentos e de coisas do coração, não está muito em alta. Então optei pelos "Acessos" verdadeiros. Dos que ainda param para discutir essas coisas.
Agradeço (E, juro que por mais clichê que isso pareça, não é! É de coração, de alma) aos que me deixam mensagens de Força, qualquer palavrinha deixada significa muito pra mim. É incrível o Gás que isso dá. E, recebi muita energia boa e de muita gente, pessoas que não me conhecem, ou melhor, que só me conhecem através da minha escrita. Aos, amigos, familiares que estão em peso nisso tudo, me dando carinho, atenção, amor, e ainda por cima compartilhando esse Blog ainda bebê. 

Muito obrigado pelos mais de 2.500 Acessos. Espero que estejam gostando tanto quanto eu desse espaço que criamos. Sou um careca ainda mais FELIZ!

Simplesmente Fé

Evitei para escrever sobre Fé. Primeiro, que acho um "assunto" muito delicado, e extremamente pessoal. Segundo, que me vem inúmeras coisas na cabeça, coisas demais, eu quero dizer. E, Terceiro, que eu nunca me senti pronto para "falar" sobre isso, não que agora eu me sinta, mas confesso que estou mais a vontade com a Fé. Antes de qualquer coisa, falo única e exclusivamente de Fé, independente de Religião, independente de como você faz para chegar nela, independe se você recorre a Deus, Alá, Shiva, Brahma, Zeus, ao Universo, Grande Força, Ser supremo, enfim, não importa. Falo de Fé, aquela que faz você ajoelhar, que faz você baixar a cabeça, que faz você pedir, mas, que principalmente FAZ VOCÊ ACREDITAR. É dessa Fé que ando experimentando, uma Fé inabalável, que trás a calma da certeza, a certeza da vitória. Pra ter Fé não basta dizer que tem. Fé é sentida. Na pele. Na lágrima. No sorriso. No arrepio ao fim de um pedido. Fé é por em dúvida qualquer coisa que te diga o contrário do que você acredita, do que você quer, do que você busca. To falando daquela Fé que não te deixa cansar, que te acalenta, que te abraça. Que diz no teu ouvido "Vai dar tudo certo." Eu descobri de verdade o que era Fé, no exato momento em que estava sentado de frente para uma Oncologista, onde ela começava a me explicar o que era o meu Câncer, e quantas sessões de Quimioterapia eu precisaria. Conheci ainda melhor a Fé quando passei Seis horas por dia dentro daquele hospital, sentado, recebendo os medicamentos na veia, durante uma semana inteira. Medicamentos esses que a Fé me garante que vão me curar. A Fé estava presente quando a Quimio começou a agir no meu corpo, quando meus enjoos pareciam que não iam ter fim, quando meu cabelo começou a cair, quando eu me sentia mais fraco que um bebê recém nascido. A Fé estava sempre lá, ao meu lado. Estou no começo da minha caminhada, ainda tenho meses de tratamento, para só depois eu chegar onde eu quero. Onde eu acredito. Onde eu sonho. Onde eu busco. O fim dessa doença. Agora eu posso dizer, Eu realmente estou mais a vontade com a Fé.

20 de set de 2013

"Honestamente" Falando

Honestidade é algo engraçado. Falamos muito de honestidade, pedimos muito por pessoas honestas, apontamos e julgamos os desonestos. Fazemos isso automaticamente, você é honesto e você é desonesto. Ponto. O erro nisso está na forma com que julgamos as ações nas quais vão determinar se uma pessoa é ou não é honesta. Como tudo na vida, isso é muito abrangente. Roubar é desonesto, Ok; mas o fato do cara roubar o seu carro, não o faz mais desonesto do que você que rouba chocolates, etc, em um posto de conveniência. Estou sendo radical, claro. Mas, onde eu quero chegar mesmo é nesse nosso poder de julgamento irritante, e hipócrita. Onde só conseguimos enxergar o erro do outro, o defeito do ciclano, a falta de moral do beltrano, e onde fechamos totalmente os olhos para os nossos deslizes, a nossa falta de caráter momentânea, seja ela em pequena ou grande escala. Não podemos simplesmente colocar nossa moral em um pedestal e ficar lá de cima apontando o dedo para todas as outras pessoas que cometam seus erros, julgamento é para a justiça, principalmente a Divina, no final disso tudo.
Ache errado, diga que você nunca faria isso ou aquilo, e realmente não faça, Isso é ser honesto. Honesto consigo, quando não tem ninguém olhando. Quando ninguém vai saber. O tipo de honestidade que deixa você botar a cabeça no travesseiro tranquilo com suas escolhas, com suas atitudes. Ser honesto em cima da desonestidade dos outros não está com nada.

19 de set de 2013

Em Espera

Eu nunca soube esperar nada. Comigo era bateu levou, era agora ou nunca.  Não deitava a cabeça no travesseiro se não tivesse resolvido a briga em que me meti, nunca terminei uma briga primeiro, sempre tive que dar a última palavra, ir até o fim de tudo. Sempre usei dessas palavras para me explicar, para defender meu lado, para tentar resolver, eu nunca esperei a coisa se acalmar, nunca dei o tempo para a cabeça esfriar, nunca fechei a porta, nunca desliguei o telefone primeiro, queria mais e mais palavras, queria ações, queria soluções.
Fui um grande imediatista, tudo pra ontem. E, com isso machuquei muita gente, me machuquei muito também. Imediatistas falam muito, logo, falam muita m#rda, sai da nossa boca tudo que a gente não diria se tivesse ido dormir, se tivesse fechado a porta, desligado o telefone. Inúmeras brigas nem existiriam se eu soubesse esperar, esperar o amanhã chegar. As trocas da noite para o dia sempre foram muito difíceis pra mim, porque eu tinha que calar. Esperar. E, cá estou Eu agora, esperando, esperando o fim de um tratamento longo e delicado. Esperando. Esperando um resultado positivo. Esperando uma cura. Esperando pela minha festa de comemoração. Esperando pra abraçar forte meus familiares e amigos, sem medo de pegar algum vírus. Esperando uma noite para dançar até amanhecer. Esperando. Eu, e minhas tais palavras, estamos esperando. Agora entendi. Nada é pra ontem. As coisas tem que ser vividas, as palavras tem que ser usadas para o bem, e você precisa saber a hora de ir dormir. Escrevo isso emocionado, por que só agora ao final desse texto eu percebo que aprendi. 

Eu cedo, Tu cedes, nós Cedemos?

Cada um com sua bagagem. Somos seres únicos e complexos demais. Até chegarmos aqui, percorremos um longo caminho, que inclui nascimento, conhecer uma nova família, ensinamentos básicos, regras, o que é certo ou errado, o que pode ou não pode, vivenciamos coisas, sofremos nossos traumas, aí crescemos, e mais ensinamentos, e mais regras, e agora leis, descobrimos finalmente o que é certo e errado de verdade (pelo menos para nós), e o que achamos que podemos ou não fazer. Criamos quem somos através de tudo que vivemos, de tudo que um dia nos foi ensinado. Daí vem todas as nossas crenças, nossos princípios, e nossas verdades absolutas, aquelas que nem Dois Papas juntos fariam a gente pensar diferente. Só o que esquecemos ao longo de nossos relacionamentos, seja familiar, amigável, ou amoroso, é que TODOS nós passamos por isso, por esse mesmo caminho, mas de formas totalmente diferentes, esquecemos que as outras pessoas também tem seus traumas, seus princípios, e suas verdades absolutas, aquelas que nem Três Papas + Você, conseguiriam mudar. Tem coisas que não adianta, é preciso sim dominar a arte do convívio, e, a arte do convívio nada mais é que a arte de ceder (ou de engolir sapos), não gaste horas, nervos, gestos e garganta tentando convencer alguém de alguma coisa, o que é simples pra você é muito difícil para a outra pessoa, o teu azul água pode ser verde musgo pra alguém, Cajuzinho pra você, brigadeiro de amendoim pra mim, e não se discute. Seja as coisas mais simples como essas, ou as mais complicadas, não vale gastar tanta energia somente pra ter razão no final. Até por que, no fim das contas, vamos acabar juntos entupidos de brigadeiro de amendoim mesmo... Tá, tudo bem, pode chamar de Cajuzinho.

Pobre Cotidiano

Acorda, olha o celular, levanta da cama, toma um banho, olha o celular, pega alguma coisa para comer, saí comendo, olha o celular, chega no trabalho, emails, ligações, problemas, olha o celular, vai pro Almoço, come em 20 minutos, olha o celular, sobremesa, cafezinho, responde suas Redes Sociais, compartilha coisas, curte coisas, atende uma ligação, duas, três, já está no trabalho, mais ligações, mais problemas, mais emails, uma escapada para Rede Social, cafezinho da tarde, fim da tarde, carro, ou ônibus, trânsito, olha o celular, Redes Sociais, casa, banho, conversa rápida com os familiares, janta, olha televisão, olha o celular, mais umas palavras com os familiares, um boa noite nas Redes Sociais, deita. Aí, deitado, calado, com celular do lado, pensa... Pensa que esqueceu de ligar pra Mãe, que não foi ver o filme que queria ver, que não foi visitar a amiga que estava doente, que não devolveu o DVD na locadora, que precisa ir no dentista, que tem que procurar um lugar pra meditar, e depois, percebe que não deu um abraço naquele dia, aí lembra que deu sim, no colega de trabalho que estava de aniversário, era aniversário ou promoção? Não lembra, estava olhando o celular.
Vamos parar de esquecer. Vamos parar de olhar o celular e não olhar as pessoas nos olhos. Vamos ligar pra Mãe. Vamos para o cinema, com amigos, com o namorado, ficante, colega de trabalho, sozinho. Vai meditar, vai rezar, vai parar uns segundos para olhar a rua, olhar as pessoas, olhar a você no espelho. Devolve os DVD's para a locadora. Abrace a sua família, abrace seu colega de trabalho que estava comemorando porque vai ser Pai, pede desculpas por ter dito feliz aniversário enquanto curtia a foto da Sabrina Sato semi nua. E depois disso, vai dormir! Você merece.

18 de set de 2013

Eu e Ela.

Lembro exatamente do olhar dela, quando juntos ficamos sabendo oficialmente que o que eu tinha era um Câncer. Lembro exatamente quando a ficha do que estava acontecendo caiu junto para nós dois. Lembro e vou sempre lembrar do abraço que ela me deu, e das palavras que ela usou "Tu sabe que vai ficar tudo bem, a gente vai passar dessa." Ela usou "A gente" Como se a doença fosse dela também. E, bom, depois disso, ela entrou no meu quarto sem fazer barulho, toda a madrugada, só pra ver se eu estava bem, depois disso ela foi pro Google, pesquisou chás, alimentação apropriada para quem vai iniciar uma Quimioterapia, pesquisou o que é Defesas Baixas, pesquisou Centros Espíritas, entrou em Igrejas, rezou, falou com as amigas, com a família... E, chorou, provavelmente no travesseiro, a noite, e sozinha. Não na minha frente.
Do dia pra noite ela se tornou a melhor Enfermeira, a mais rígida, a mais cuidadosa. Despertou toda a madrugada e todas as manhãs para me alcançar o remédio e um copo d'Água. Fora os vários abraços, a paciência e as palavras de força. Não consigo explicar a nossa relação, não consigo dizer que sou somente teu filho, me parece pouco. Tu nunca vai ter ideia do que vem fazendo por mim durante todos esse anos, mas principalmente agora, Mãe. Não existe vida, nem vidas que eu possa usar para conseguir te agradecer, te retribuir. Tu vai dizer que não faz nada além do que tu deveria fazer, mas tu faz sim, tu sempre fez muito além do que qualquer Mãe faz. Eu sou apaixonado por você, e acho que agora começamos a entender o porque de termos vindo nessa vida como Filho e Mãe. Quero grudar pra sempre no teu Espírito Iluminado, e te acompanhar por muitas e muitas vidas. A palavra obrigado nunca foi tão pequena. Te amo.



17 de set de 2013

20 Segundos do seu tempo

Imunidade baixa resulta em muita leitura, e em muita televisão, seriados e afins, todas essas coisas que uma pessoa que não pode sair utiliza para preencher seu longo dia. Fico com saudade das pessoas, mas em compensação fico mais culto. Bom, no troca-troca de canal acabei assistindo uma matéria (não tenho como saber o canal, já que os troco umas 425 vezes ao dia) Mas, a matéria era do tipo que chama minha atenção, falava de gente, e veja só... de gente honesta, gente que faz o bem, que ajuda o próximo, e sem pedir nada em troca. Câmeras de segurança, espalhadas por vários Bairros, e grandes Avenidas, de diferentes Cidades flagraram dessa vez ao invés de bandidos, e criminosos, flagraram pessoas fazendo o bem, tendo pequenos gestos, pequenos mesmo, mas enormes nos resultados, como ajudar um cadeirante a subir a calçada, um cego a atravessar a rua, alcançar algo que tenha caído para o seu dono, ajudar quem caiu a se levantar. Enfim, esses gestos que estamos cansados de saber, mas que ainda fazemos pouco, ou por que estamos atrasados, ou por que daqui a pouco alguém ajuda, ou seja qual for a justificativa que a gente nos dá.
O bonito da matéria, foi poder enxergar essa gente, foi poder ver que nossa, graças a Deus, AINDA EXISTE GENTE ASSIM, gente boa, com bom coração, que pare a sua vida porque tem outra vida precisando de ajuda naquele momento. Ando com minhas emoções à flor da pele, para meus olhos se encherem de lágrimas não precisa mais que uma chamada do Globo Repórter, falando sobre Orquídeas Silvestres, que seja; Mas não pude evitar a emoção ao ver boas ações tomando o lugar das filmagens onde normalmente mostra sangue. Essas coisas valem a pena a ver, fazem valer a pena acreditar no ser humano.

Eu (agora) Te amo

Sempre fui um passional de carteirinha. Sempre me mantive apaixonado, gastei longos períodos fazendo amores impossíveis darem certo, sofri pra burro como muita gente por aí. Acreditei, até hoje pelo menos, que era esse amor que me fazia estar ligado na vida, sentia a necessidade de ter alguém para chamar de meu (com toda a possessividade que possa existir nessa palavra) Não posso desconsiderar o fato de eu ser jovem, de ser sagitariano, e por isso ter uma intensidade quase irritante, além de ter um DNA de muito amor impregnado em mim, foi assim que eu levei minha vida até agora.
O que mudou? Bom, hoje eu continuo um passional de carteirinha, mas estou completamente apaixonado pelo cara que mais me valoriza nesse mundo, Eu mesmo. Tem coisa mais piegas que isso? Mas, me desculpem, estou mesmo. Estou tendo um caso de amor dos bons comigo, estou gastando uma energia e tanto me conhecendo de verdade, buscando algo em mim que nunca tive tempo de buscar, pois estava buscando no outro, escarafunchei tanto a vida desses amores impossíveis, que esqueci completamente que existia a MINHA vida. Hoje, eu não podia estar melhor acompanhado nesse momento que estou passando, estou COMIGO, e dessa vez de verdade e posso dizer que quase por inteiro (pois, sou muita coisa pra conhecer tudo de uma vez) E, sem demagogias, eu estou com as pessoas mais importantes que eu poderia estar agora, minha família, meus amigos, sinceramente, não daria um passo sem eles, aprendi finalmente que isso é AMOR de verdade, por eles vale a pena ser um passional de carteirinha. Enfim, Estou feliz, e conseguindo admirar uma força que eu não imaginava que tinha em mim. Essa força sempre vem pra todos, só fica guardada esperando o dia que seja reconhecida de verdade.

16 de set de 2013

A vida é sempre maior que o fato

Sou muito jovem ainda, minha experiência de vida é minima perto das mulheres (fortes) que me cercam, perto de 40, 50, 80 anos de caminhada. Mas, se tem uma coisa que eu já aprendi com a vida, é que ela tem planos para você, independente dos seus próprios. Passamos, e gastamos boa parte dos nossos dias planejando coisas, imaginando o amanhã, criando projetos e sonhos para um futuro, escolhemos um caminho para seguir, o caminho que achamos certo, que consideramos melhor para a gente, mas aí vem a vida, e BUM, te arremessa para o outro lado da estrada, te joga em outro caminho, faz você desfazer planos e sonhos (mesmo que seja só temporariamente ), a vida te mostra que é maior que você, que ela tem o tempo dela, e que você tem paradas obrigatórias para fazer ao longo da jornada.
Como muitos sabem, eu tenho um sonho a muito tempo, quero fazer a minha vida no Rio de Janeiro, quero ir de mala e cuia (como um bom Gaúcho, ha ha) para a cidade maravilhosa, É um sonho antigo, e venho tentando realizá-lo a bastante tempo, mas sempre acabei adiando, seja por uma promoção que recebi no meus empregos, ou por um amor que acabei conhecendo aqui em Porto Alegre, e no fim, nunca fui. Mas, esse ano tudo era diferente, esse era o ano da minha mudança, não tinha promoção de emprego, nem amor que me prendesse, consegui juntar meu dinheiro, consegui minha passagem para viajar em Agosto, e consegui o consentimento (mesmo que forçado) da minha família que tanto amo. Era só ir. Mas, aí vem a vida, e BUM, me arremessa para o outro lado da estrada, me joga em outro caminho, faz eu desfazer meus planos e sonho (com certeza só temporariamente), a vida mais uma vez me mostra que ela tem o tempo dela, e que eu preciso passar por certas coisas antes de partir. O que me veio na cabeça com tudo isso? O óbvio, Deus está conduzindo tudo da melhor maneira, me preparando de verdade para esse sonho, fazendo eu ficar mais forte, com mais fé, com mais coragem. Por isso eu digo, nessa história toda eu só tenho a agradecer. Deixe a vida te conduzir também.

15 de set de 2013

Um dia antes

Estou super feliz com o Blog, ele só tem 24 horas, e o número de visualizações me surpreendeu bastante. Fico realmente muito feliz, que as pessoas entrem, seja por curiosidade, ou por que realmente se interessam pelo que eu tenho a dizer. Como disse ontem, sempre quis ter um Blog, sempre gostei de escrever, de pensar, de filosofar digamos, e sei que no Facebook não é o melhor lugar para delongas, aqui acho mais intimo, me sinto mais aberto, mais a vontade.
Amanhã, Segunda-feira, inicio meu segundo ciclo de Quimioterapia. Já passei pelo primeiro, então sei como é o processo, todos os contras, faço a semana inteira, 6 horas por dia, não é fácil, mas também não é impossível. E, fico bem animado a pensar que depois dessa semana que vou passar vai faltar apenas (e se Deus quiser) só mais dois ciclos. Cada dia é único nesse período. Obrigado pelas mensagens, por todas, sinceramente, qualquer palavra que recebo dos amigos, dos conhecidos, são muito importantes e valem ouro, atenção e carinho é sempre bem vindos, e agora eu quero todos eles de verdade.


Muito obrigado novamente. E, vamos com FÉ, FORÇA E CORAGEM pra mais uma semana. 

Imunes

A verdade é que nunca acreditamos que vai acontecer com a gente. Todos nós estamos cansados de saber dos males do mundo, e de todos os perigos que corremos ao longo da vida. Mas, apesar de sermos bombardeados todo dia, de todo o tipo de noticia ruim, sobre tragédias, doenças, etc; mesmo assim tudo é sempre muito distante, a bala perdida matou fulano, o ciclano morreu de meningite, hepatite, qualquer tipo de "ite", mas é sempre o outro, em outra família, em outro bairro, em outra cidade. A verdade é que nos sentimos imunes, imunes a qualquer "mal".
E, meu maior aprendizado está sendo administrar esse "mal", a maior loucura disso tudo é entender que dessa vez não foi no vizinho, não foi na novela, foi dentro da minha casa, foi comigo. Sempre ouvi falar muito sobre o câncer, mas só ouvia falar, era uma coisa distante, acompanhei na novela como todos, e vi a luta de alguns famosos, mas era só. Hoje, lentamente começo a entender de verdade, e mais do que isso, começo a perder o medo de pronunciar o nome dessa doença. Hoje, começo a entender que luta era essa que as pessoas diziam tanto quando estavam em tratamento. É a luta pela vida, pura e simples. É a vontade louca que a gente sente de VENCER essa doença, de passar pelo que tiver que passar só para no final de tudo ouvir 'Você está curado.' Nossa, eu só penso nessa frase. Hoje, eu realmente só vivo para isso. E, como eu digo para as pessoas que estão mais próximas de mim, esse dia com certeza VAI SER O MAIS FELIZ DA MINHA VIDA! Vou guardar para sempre os aprendizados dessa caminhada, que são muitos. Além, de guardar comigo a lição que não somos imunes a nada, por isso, um pouco de cautela vai começar a me cair melhor, por isso vou voltar amando ainda mais a vida, e valorizando cada pessoa que está do meu lado. Tudo pode parecer muito clichê, mas quando a vida te mostra que é frágil , você para, e parando você entende.

14 de set de 2013

Um começo

Bom, achei o título apropriado para iniciar a primeira postagem de um novo Blog, além claro de significar outras tantas coisas que irei contando ao longo das postagens. E, o que eu posso dizer nesse "começo" é que sempre tive a vontade de ter um Blog, mas nunca achei um motivo que realmente valesse a pena fazer, nunca fiz grandes viagens, nunca me decidi sobre um tema que me desse prazer em escrever, e nunca achei minha vida tão incrível que rendesse postagens interessantes. Mas, eis que a vida lhe surpreende, e da noite para o dia você percebe que tem sim o que falar, ou melhor, o que escrever. Não tenho a pretensão do Blog tomar uma grande proporção. Claro, quero ser lido, mas não importa o número de gente, que seja só minha Mãe, ou Amigos, ou Família, o que importa nesse momento é eu ter meu espaço para escrever, os cadernos já não me servem, bloco de notas em computador já não me chamam atenção, quero um lugar assim, onde eu possa ler, e reler por muito tempo o que estou vivendo nesse momento, onde eu possa dividir os inúmeros pensamentos que me vem na cabeça, devido a essa nova surpresa que Deus me reservou. Nesse momento sou um Jovem de 22 anos, que agora percebe que viu muito pouco da vida, e que por um diagnóstico de Câncer, passou a perceber as coisas a sua volta de outra maneira. E, claro, sua paixão pela vida só aumentou. Estou no começo do meu processo, no começo desse Blog, e no começo de um amadurecimento, para dizer com todas as letras, ADEUS, VERDE.